5 coisas que Jojo Moyes nos ensinou

Quando a Intrínseca sugeriu falarmos da Jojo Moyes, ficou difícil recusar. Isso porque Jojo escreve um tipo de livro que vai além das páginas e definitivamente nos leva até outro momento, com outras pessoas (personagens, cof) e outras experiências. Por isso resolvemos participar falando das 5 coisas que Jojo Moyes nos ensinou. Vamos?

Quinta Que o amor existe
Tive que começar pelo mais clichê. Às vezes ele está exposto numa carta, às vezes vem ao acaso com pessoas que antes parecem nos odiar, às vezes surgem quando achamos que já amamos alguém o suficiente para uma vida toda e, às vezes, ele só ressurge das cinzas a partir de bons momentos. Mas se tem uma coisa que Jojo Moyes espalha aos ventos é isso: o amor.

Quarta Que você já deveria saber, mas todo mundo tem uma história
Acho que o melhor livro para isso é Em Busca de Abrigo, quando a autora traz três gerações de personagens para uma mesma narrativa, sem deixar de lado as personagens secundárias. Escrito em terceira pessoa, ele traz os pontos de vista da avó, da mãe e da neta, cada uma com suas confusões e personalidades bem demarcadas, unindo passado e presente que conseguem provar que todas as nossas ações são pautadas em vivências anteriores. E tudo, absolutamente tudo, tem justificativa.

Terceira Que o dia a dia normal é cheio de surpresas
Foi o que pensei ao ler Um Mais Um. O livro não me fez chorar como outros da autora, nem foi tão impactante ao me fazer olhar para uma realidade que está longe da minha e mesmo assim me envolve de um jeito único. Ele, na verdade, foi bem realista e pé no chão — e isso por si só foi uma surpresa, porque me fez lembrar que o dia a dia guarda suas surpresas, desapontamentos, sonhos e lutas. E isso, desculpem-me, acho bastante poético.

Segunda Que, apesar de tudo, é preciso ser um pouco egoísta
Gosto de como as personagens da Jojo fazem o que é melhor para elas. Isso não significa que elas deixem de pensar no outro, nem que elas estão dando pouco valor para as outras pessoas. Significa, apenas, que elas são forte o bastante para entender quais são suas melhores escolhas e seguem firmes com elas independentemente da opinião dos outros. É difícil manter esse equilíbrio e, em geral, as personagens dela conseguem.

Primeira Que a vida continua, independentemente da suas escolhas
(contém spoiler de Como eu era antes de você!)
Acho que todo mundo ficou um pouco decepcionado com o final de Como eu era antes de você. Estamos acostumados com — e, em livros, desejamos os — finais felizes, quando todas as barreiras são superadas e o casal entende que o amor basta, mesmo que exija esforço no dia a dia.

Quando Jojo nos mostra um final provável, mas não desejado, ficamos inquietos — chorei copiosamente todas as últimas 40 páginas do livro. Mas ela mostra um outro lado também, um que explora na continuação, Depois de você: que a vida continua. Que o que está no passado está dentro de um contexto, uma história, mas está lá, é real e faz parte. E que é possível viver, e viver bem, independente do que se sofreu.

Deixe seu comentário

* campos requeridos

Comentar via Facebook