5 dicas para aproveitar mais a Bienal do Livro de São Paulo

A Bienal de São Paulo está chegando, e como não ficar ansiosa? Infelizmente não estaremos presentes para pegar autógrafos – e abraçar bem forte – Ava Dellaira (de Cartas de Amor aos Mortos), Becky Albertalli (de Simon vs. a Agenda Homo Sapiens) e Marian Keyes (vale lembrar que a Bertrand está lançando edição capa dura de Melancia), mas…

Somos quase velha guarda quando o assunto é Bienal e selecionamos cinco coisas que, se você nunca foi a uma Bienal do Livro, ou se só foi para dar aquela passadinha rápida porque socorro-está-tudo-muito-cheio, precisa fazer. Vamos?

Primeira O contato com autores
Uma das melhores coisas do evento é o quão próximo (às vezes) você pode estar de um autor. Esse ano, a bienal trouxe um aspecto inovador e muito positivo: as senhas para as sessões de autógrafos foram distribuídas online. Isso mesmo, esqueça a correria e o desespero: quem pegou, pegou; quem não pegou, ficou de fora.

A maioria das senhas já está esgotada, mas algumas ainda estão disponíveis e vocês poderem garantir através desse site. Além das autoras já citadas, também terão sessão de autógrafos de Amy Ewing, Megan Maxwell, Lucinda Riley, J. Sterling e Tarryn Fisher.

Segunda As promoções
Mas vamos ser muito honestos aqui: se você está esperando preços baixíssimos e muitas compras, bem, provavelmente vai se decepcionar. Isso porque a maioria dos livros estão com preço de venda e os descontos são a partir da compra de dois ou mais volumes.

A dica sempre válida é esperar os últimos dias de evento, quando algumas editoras optam por abaixar os preços. Dizem que quem fica, no último dia, até bem o final – com quase tudo fechando – consegue descontos maravilhosos, mas, comigo, o máximo de consegui foi mais abertura para negociações.


Planner Bienal do Livro de São Paulo
Planner Bienal do Livro de São Paulo (clique para fazer o download)


Terceira Saiba o que você quer e onde encontrar
A Bienal de São Paulo sempre é menor em espaço que a do Rio, mas nem por isso é um mundo menos encantador. Com isso eu quero dizer que se você chega lá única e exclusivamente no feeling, você não vai aproveitar nada.

Faça uma lista com todos os livros que você quer comprar e veja os preços na internet (com e sem frete), saiba qual editora publicou cada livro e vá direto ao ponto. Negocie – de verdade, não tenha medo de negociar.

Aproveite e faça uma lista com as mesas que você quer assistir, o horário e como está funcionando as senhas. Se você já garantiu sua senha pro autógrafo, fique de olho onde a sessão vai acontecer.

Quarta Você e você mesmo
Vá confortável. É sério: coloque um tênis e uma roupa que te deixe livre pra andar muito sem desconfortos. Você vai passar muito tempo em pé, algum tempo em filas e vai se cansar. Ninguém merece já estar louco para dormir com o plus de um pé machucado e uma calça que precisa ser puxada pra cima o tempo todo.

Além disso, esteja avisado que almoço na Bienal é muito caro, o que vai fazer você escolher algum dos lanches, que, apesar de caros, são mais acessíveis. A dica é que você vá preparado: leve um biscoito que você goste, ou faça um sanduíche. Algo que dê para colocar numa mochila (vá de mochila!) e não pese tanto assim.

Quinta Converse!
Fiz alguns amigos maravilhosos quando estava na Bienal. Na de São Paulo, uma vez, cheguei tão cansada que caí numa poltrona que tinha no estande da Novo Conceito e passei umas boas duas horas lá (até me ofereceram água, eu devia estar com cara de morta mesmo) – e nisso acabei conhecendo duas pessoas maravilhosas, que me fizeram companhia por todo o resto do evento.

Você está em um meio de livros, com pessoas que, em geral, gostam muito de ler. Aproveite!

Deixe seu comentário

* campos requeridos

Comentar via Facebook