[Entrevista] Lauren Oliver

Lauren Oliver é uma escritora que já veio de uma família de escritores, por isso está acostumada – e acha normal – passar horas em frente ao computador todo dia, lendo e escrevendo. Na Universidade de Chicago, estudou filosofia e literatura. Trabalhou como assistente editorial, assistente de editor. Antes que eu vá é seu primeiro livro publicado.

Beletristas Você disse numa entrevista para o site “Gêmeas Things” que você primeiro “viu” a personagem Sam. Quando isso aconteceu? Por que escrever uma história sobre uma garota que é má, egoísta e egocêntrica?
Lauren Oliver Bom, eu estava interessada em explorar temas de mudanças. Por que algumas pessoas são más? Por que as pessoas incomodam e perturbam outras? Como isso pode ser mudado? Essas são as questões que estão na alma de Antes que eu vá: é para ser um livro sobre crescimento e evolução da moral.

B “Antes que eu vá” é um livro sobre Sam, uma menina que teve que aprender a crescer e, consequentemente, ser uma pessoa melhor. Era sua intenção passar uma mensagem para seus leitores?
LO Sim, com certeza foi minha intenção explorar os mecanismos de crescimento ético. Eu quis que os leitores vissem a si mesmos na Sam, se identificassem com ela nessa luta para achar significados. Eu com certeza esperei que eles pudessem pegar a mensagem de empatia e bondade como uma chave para uma profunda satisfação.

B Pode ser dito que todos seus personagem tem algo, como uma característica, em comum com você ou só alguns deles?
LO Eu acho que me conecto com todos meus personagens sim. É importante poder se identificar com eles para que eles pareçam reais. Mas, é claro, essa característica muda de personagem para personagem. Pode ser um sentimento, um hábito, uma tendência física que compartilhamos. Eu realmente tento me identificar com todos meus personagens.

B Quais outras línguas você gostaria de ver seu livro ser traduzido? Quero dizer, que seria como um sonho se tornando real.
LO Sinceramente, eu sinto que meus sonhos já se tornaram reais! “Antes que eu vá” foi traduzido para vinte e nove línguas, o que já soa maravilhoso para mim. Ainda assim, por alguma razão, o Japão se recusa a traduzir meus livros, e eu AMARIA ter uma edição japonesa.

B “Antes que eu vá” terá uma adaptação cinematográfica. Qual o seu envolvimento nesse “fazer o filme”?
LO Primeiro eu me alinhei com produtores, agentes e estúdios que poderia confiar. Isso é crucial, porque em algum momento você TEM que abrir mão do controle, e você quer ter certeza que seu livro está nas mãos certas quando você o faz. Por sorte, eu tenho me mantido muito no desdobramento do processo, mas também sei que eu sou uma escritora de livros, não especialista em fazer filmes. Eu também preciso deixar que os especialistas façam seu trabalho!

B Eu li em uma entrevista para o site brasileiro “Minha Vida Por um Livro” que você disse algo sobre o carnaval brasileiro. Você realmente tem esse desejo de vir para cá durante o carnaval? Em qual cidade você gostaria de ficar?
LO São Paulo ou Rio de Janeiro! Eu tenho amigos que viveram nas duas cidades e ouvi coisas maravilhosas. E, sim, eu amaria ir (com meu noivo) para o carnaval!

Deixe seu comentário

* campos requeridos

Comentar via Facebook