Resenha | O Lobo e a Pomba, de Kathleen E. Woodiwiss

O Lobo e a Pomba
Autor(a): Kathleen E. Woodiwiss
Editora: BestBolso
Páginas: 496
Avaliação: 4
Capa: 5 Diagramação: 2.5 Conteúdo: 4.5

Um romance histórico que não deixa de lado as realidades da época.

Aislinn é filha do senhor de Darkenwald, morto no dia da invasão pelos normandos. Wulfgar, amigo do rei Guilherme, chega no dia seguinte ao lugar que lhe pertence até que se decida o contrário. Com ódio pelas mulheres, usando-as apenas para seus alívios, ele decide que a jovem Aislinn será a mulher que servirá a ele.

Ao contrário do esperado, ela não fica apenas dois dias com ele – como é o costume. Assim como não é obrigada a dormir com ele logo nos primeiros dias. Somente quando admite, falando inglês, a língua que achava que ele não falava nem entendia, que o sexo com ele a interessava, é que o fato se concretiza.

Com o tempo, Wulfgar percebe que Aislinn é diferente para ele. Todavia, recusando-se a firmar qualquer relacionamento, a mantém a seu lado, satisfazendo os próprios prazeres e os dela. Wulfgar é mestre em ignorar o falatório das pessoas, que a chamavam de prostituta.

Quando seu pai e sua irmã chegam à Darkenwald, a rotina acaba por se adaptar aos novos moradores. Aislinn agora tem que se encarar a meia irmã do bastardo, com os roubos às suas roupas e a língua que a ofendia constantemente. Para contrabalançar, o pai de Wulfgar demonstrava o quão grato era por ter quem cuidasse de sua perna e por ser aceito no solar.

O livro de Kathleen prende a atenção, tanto pela lenda do lobo, quanto pela narrativa e desenvolvimento perfeito da história. Aos poucos, Aislinn quebra o ódio de Wulfgar, permitindo que o amor faça parte de suas vidas de tantas formas que somos pegos acompanhando intensamente as cenas do casal.

O Lobo e a Pomba é um romance histórico que nos mostra as realidades da época, ligando-a a fatos que dificilmente ocorriam (como o amor e a aceitação de um bastardo por parte da sociedade de Darkenwald). A leitura possui marcas de linguagem da época mesmo fora das falas, o que torna tudo ainda mais real e impressionante.

Virar as páginas do livro é uma necessidade a cada linha lida. É assim que a autora nos apresenta personagens muito bem construídos e com marcas da personalidade que não se alteram com facilidade. Acaba sendo muito real, ainda que sequer tenhamos conhecido de fato essa estrutura de sociedade.

É um livro agradável de se ler, interessante e que surpreende todos, principalmente em suas cem últimas páginas, que seguem um ritmo que eu particularmente não esperava, mas que foi muito mais interessante. Recomendo para todos que gostam do gênero, vale muito a pena se envolver.

Deixe seu comentário

* campos requeridos

Comentar via Facebook

3 comentários

  1. Fernanda Ohashi em

    Acabei de fazer uma compra pela submarino e comprei esse livro só por causa da sua resenha! *.* só vai chegar lá pelo meio de janeiro mas já tô ansiosa! beijos

    Responder
  2. Michela Delgado em

    Adorei a resenha.
    Já li várias coisas sobre este livro, estou louca para lê-lo.

    Responder
  3. LigiaColares em

    Nunca tinha ouvido falar desse livro… Mas achei interessante! Sua resenha me deixou curiosa quanto ao foco da história, e tambem ao contexto… E isso é bom! Vou dar uma pesquisada, vai q está com preço bom? Hahaha!

    Responder