Resenha | Ivory and Bone, de Julie Eshbaugh

Sem estabelecer tempo, a história de Ivory and Bone se passa em uma época na qual pessoas são divididas em clãs. Kol e Pek fazem parte de um clã que, há cinco anos, quase entrou em guerra contra o que os veio visitar. Como a visita é de um irmão mais velho com duas de suas irmãs, toda a família de Kol se mobiliza para oferecer a melhor estadia.

Isso vai muito além de querer fazer com que eles se sintam em casa: o clã de Kol está sem mulheres e, para tornar possível que ele não acabe, eles precisam encontrar garotas aproximadamente de suas idades para dar continuidade à família. O segundo problema é que seu irmão imediatamente mais novo, Pek, se apaixonou logo pela garota que já está comprometida. Kol, por sua vez, corre o risco de gostar de Mya, que em nenhum momento tenta esconder que não simpatiza com ele.

Aos poucos, Kol descobre mais sobre o passado: o que aconteceu há cinco anos e quase iniciou uma guerra. E é exatamente isso que vai desencadear todo o restante da narrativa.

Contado sob a visão de Kol, demoramos um pouco para nos situar numa realidade muito diferente da nossa. Ali, caçadas a mamutes são comuns e os ricos inerentes. A sociedade, se é que podemos chamar assim, é dividida em pequenos clãs, que ficam em áreas diferentes, alguns mais nômades que outros. É como se estivéssemos de volta à pré-história, mas certamente com pessoas que já entendem como fazer fogo, por exemplo.

Sem sombra de dúvida, a autora conseguiu me levar a um outro universo e me prendeu a ele do início ao fim. Fiquei realmente curiosa quanto fato de se passar no futuro, ou no passado (o que faz mais sentido), mas acredito que possa ser algo ainda a ser justificado nos demais livros.

Gostei do desenvolvimento da história e das personagens, Kol é uma graça e longe de ser perfeito, Mya tem tantos defeitos e inseguranças que é construída envolta em mistério. As personagens secundárias também são muito bem elaboradas, sem deixar nada sem pé ou cabeça. Gostei de como o prólogo se une ao final, e de como não notamos o tempo passar entre um e outro, porque é impossível largar a leitura.

Julie Eshbaugh conseguiu desenvolver um universo que faz sentido. Ainda que não esteja localizado num espaço de tempo especifico, não entra em contradição. Suas personagens complexas, mas cativantes, envolvidas em uma história que é moldada em confiança, segurança, família e respeito. É, sem dúvida, um livro que recomendo.

A dualidade das pessoas

Quando eu assistia algum filme, série ou novela, na maioria das vezes sempre ficava do lado dos mocinhos, porém isso vem mudando um pouco. Acho que depende do vilão e depende do mocinho. Hoje, na verdade, tudo depende, meu humor, meu momento, minha vida, meu pensamento. Dependendo do mocinho (se for muito lerdo, mais lerdo […]

Resenha | O Morro dos Ventos Uivantes, de Emily Brontë

O Morro dos Ventos Uivantes é um dos livros mais famosos da literatura e sua leitura é perturbadora. Ao longo dessa resenha, pretendo demonstrar, logicamente não da mesma forma e nem no mesmo nível que Brontë, como é essa reação. O desenrolar da história ocorre quando o Sr. Lockwood, inquilino de Heathcliff, chega ao Morro […]

Vilões, mocinhos e você?

No mundo da fantasia, é fácil identificar os vilões, são ladrões, bandidos, pessoas simplesmente perversas, que não medem esforços pra conseguir o que querem. Mas afinal de contas quem somos nós nesse mundo? E essa tal de maldade de onde vem? Seria ela um sintoma ao invés de algo genuíno e por assim dizer, original? […]

Resenha | O Enigma de Blackthorn, de Kevin Sands

Christopher é aprendiz de boticário. Seu mestre, Benedict Blackthorn, é diferente dos demais. Apesar de ter passado 11 anos no orfanato, Christopher tem sorte. Ele não apanha, o que seu amigo Tom acha injusto, e ainda recebe lições especiais, como, por exemplo, aprender a descriptografar uma frase escrita em números. A história se inicia com […]

Os 13 Porquês: vale a pena assistir?

Adaptada do livro de Jay Asher (confira resenha), lançado pela Editora Ática aqui no Brasil, Os 13 Porquês é a nova série da Netflix. A história é contada por Hannah Baker, uma garota que, antes de se suicidar, grava fitas com os 13 motivos que a levaram a cometer o suicídio. Essas fitas vão parar […]

Resenha | Para Educar Crianças Feministas, de Chimamanda Ngozi Adichie

Chimamanda Ngozi Adichie nasceu em Enugu, mas cresceu em Nsukka, sudeste da Nigéria. Aos 19 anos, deixou a mãe e o pai para se mudar para os Estados Unidos, para estudar na Universidade Drexel, na Filadélfia, e, mais tarde, transferiu-se para a Universidade de Connecticut. Para Educar Crianças Feministas é uma carta para uma amiga […]

Pai Vilão

— Obi-wan me contou tudo! — Contou? — Contou! — Mas tudo? Assim, tudinho? — Tudo. — Vamos lá, o que aquele jedi decadente e rancoroso contou a você? — Que você matou o meu pai! — Eu não matei o seu pai. — Matou! — Não matei! — Matou! — Não matei, porra! Pare […]