Por que ler A Hospedeira, de Stephanie Meyer?

Por Janaina Barreto
exclusivamente para Beletristas. Proibida cópia total ou parcial

Livro A Hospedeira, de Stephanie Meyer A primeira coisa que lembro quando falo de “A hospedeira” é que, sim, eu tinha acabado de ler a saga mais amor e ódio dos últimos tempos (já não lembro se decepcionada ou não, afinal, faz um tempinho) e estava completamente maluca pra ler qualquer outra coisa da queridinha (ou não) Stephanie Mayer. Nessa época eu não conhecia outros autores, então, me agarrava ao porto seguro e maravilha que é o autor conhecido.

Ainda nessa época, não era tão fácil encontrar ou mesmo ouvir falar nas agora tão amadas distopias. É claro que o gênero não era coisa nova, mas não era realmente algo constantemente publicado por aqui como é agora: quem nunca leu alguma, pelo menos ouviu falar e sabe as características.

Enfim, a história é mais ou menos essa: vidas alienígenas bem mais avançadas que a espécie humana (não é difícil imaginar rs) chegaram ao planeta e estão decididas a impedir que acabemos com tudo de bom que a Terra oferece.

Por isso, passam a caçar e se apoderar dos corpos das pessoas. Por um momento coabitando no mesmo corpo, as “Almas” alienígenas e a do corpo “invadido” iniciam um duelo: o mais forte fica.

Assim a primeira vista, parece algo um tanto louco, é verdade, mas funciona, acredite! As protagonistas Peregrina e Melanie dão inicio à uma trama bem escrita (digam o que quiserem, para mim foi) e muito envolvente. O livro é longo, mas uma vez dentro da história, as páginas desaparecem.

Duvido muito que qualquer leitor consiga escolher um lado, porque será que a humanidade merece mesmo sobreviver se ela mesma proporciona a morte de outras espécies (plantas e animais) e até mesmo da própria? Por outro lado, será que as Almas, apesar de evoluídas e mais sãs, têm o direito de tirar vidas?

Por ter iniciado (ou trazido de volta) o foco nas distopias, trazendo novas ideias e um novo mundo, é que eu indico A Hospedeira, que você pode comprar aqui por R$28,90. E bom, se você não quer ler, pelo menos veja o filme que, pelo que soube, ficou bem fiel (e eu não tive coragem de ver ainda #medodeleitor).

Deixe seu comentário

* campos requeridos

Comentar via Facebook

1 comentário

  1. Carla em

    Gente, eu confesso que esse foi o livro que eu mais chorei na vida! hahahaha
    Sei, parece idiota, mas foram tantas lágrimas… Pode ser realmente que isso seja um pouco do que você falou, de não ter ainda o conhecimento literário que temos hoje em dia e do quesito “novo”. As vezes me pergunto como eu veria tanto a hospedeira e crepúsculo se os lesse hoje. Mas acho que eles ainda teriam um impacto em mim, pelo menos a hospedeira. Porque o envolvente msm foi o desenvolvimento dos personagens. Quer dizer, a gente começa o livro não gostando da Peregrina e termina o livro chorando com ela.
    Acho que a SM tem msm o dom de saber escrever personagens cativantes e que ao msm tempo atingem a gente em vários níveis.

    Responder