Resenha | A Evolução de Mara Dyer, de Michelle Hodkin

A Evolução de Mara Dyer
Autor(a): Michelle Hodkin
Editora: Galera Record
Páginas: 406
Avaliação: 5
Capa: 5 Diagramação: 5 Conteúdo: 5

Permissão para favoritar e dar uma enlouquecida de leve.

Eu sabia que a continuação seria como a primeira: tiro e queda. Começar a ler, não parar até acabar e ficar ansiosa esperando o terceiro. Claro que eu não imaginava nem de perto aquele final, muito menos considerei que pudesse ficar tão louca quanto Mara, mas, bom, esse é um dos talentos de Michelle Hodkin.

Se você gostou um pouquinho ou se apaixonou por A Desconstrução de Mara Dyer (cuja resenha está aqui), então prepare-se psicologicamente para este livro. Começamos a leitura encontrando Mara Dyer na ala psiquiátrica, sem saber como foi parar lá.

Não nos custa muitas páginas para começar a entender como toda a situação se desenrolou e logo percebemos o começo de toda a história: Jude Lowe. Seu ex-namorado está vivo, aparecendo para ela, e ninguém acredita. Também, como poderiam se ele perdeu as mãos e o garoto que ela diz ser ele as têm?

Certamente não seria possível que sua mãe, seu pai (que vai ficar bem, obrigada por lembrar) ou qualquer um de seus irmãos caíssem nesse papo. Entretanto Noah sim. Afinal, ele sabe o que é ter dons. Entende porque ela pode parecer louca e dá à ela seu voto de confiança. Além de uma promessa: mantê-la segura.

A Evolução de Mara Dyer é daqueles livros que você lê, termina e mal percebe que se passaram 400 páginas. Era uma vez uma manhã, que quando você notou já era o dia seguinte e você estava atrasada para o trabalho e com muito sono. Porque é isso que o livro faz com você.

Noah continua tão incrível quanto antes. Gosto de sua personalidade, as tiradas e ações. Principalmente gosto de como ele não se deixa envolver por tanto drama desnecessário, acatando aqueles que fazem parte da trama e nenhum mais.

Gosto também de Mara e sua possível loucura. Ela é esperta e sabe como deve agir para conseguir o que quer, mesmo que precise de uma ou outra ajuda para atingir seus objetivos. Mais ainda que gostar das personagens principais, gosto de como todas as se entrelaçam, relacionam-se.

Michelle Hodkin conseguiu pegar a narrativa tensa, um tanto dark, e deixá-la ao mesmo tempo romântica o suficiente para fazer qualquer leitora ficar apaixonada. E, ei, não estou nem falando de paixão adolescente, ok? Apesar desta ser totalmente possível também. Refiro-me à paixão pela história em si, pela narrativa.

Sem dúvidas, A Evolução de Mara Dyer se tornou um dos meus livros favoritos. Ao juntar tantos elementos em um livro, sem deixá-lo sobrecarregado, conseguiu um espaço super especial na minha estante.

Por sinal, preciso dizer que não sentia nada assim desde Divergente… O mínimo que posso falar é: peguem o livro e comecem a ler HOJE. Depois venha conversar comigo que estou doida para compartilhar umas teorias enquanto o último livro não sai.

Deixe seu comentário

* campos requeridos

Comentar via Facebook