[Resenha] A Joia, de Amy Ewing

A Joia
Autor(a): Amy Ewing
Editora: LeYa
Páginas: 352
Avaliação: 4.8
Capa: 5 Diagramação: 4.5 Conteúdo: 5

Violet Lasting despede-se de si mesma. Isso porque em menos de dois dias ela sairá do Internato do Pântano – para o qual foi enviada à força – diretamente para o Leilão, em que será vendida como substituta para uma das mulheres mais ricas da Joia. Uma das muheres da realeza.

Uma vez tornada substituta, as mulheres dos círculos mais pobres da Cidade Solitária deixam tudo para trás: seus nomes, suas famílias, suas vidas, para tornarem-se as hospedeiras dos bebês da realeza. Isso porque os bebês da família real estavam nascendo defeituosos e a linhagem corria perigo de ser dizimada. Por isso, foi criado o sistema de substituição, para o qual Violet fora destinada e treinada junto com dezenas de outras meninas.

Esse não é o destino que quer enfrentar, mas a garota não tem escolha. Se não seguir conforme o esperado sua família será morta. Sem ter a quem recorrer, Violet destina-se rumo à Joia após ter sido comprada pela Duquesa do Lago.

Porém, mesmo preparada para o pior, ela surpreende-se com uma série de acontecimentos e uma rede de intrigas entre realeza a faz descobrir o motivo de ser tão desejada Duquesa e os planos dela para sua nova vida. Planos que não a agradam nem um pouco, mas mais uma vez, ela não tem escolha.

Contudo, ao longo do caminho Violet descobrirá um amigo disposto a tirá-la da Joia. Bem como tomará conhecimento que suas chances de tornar-se livre diminuem após a paixão proibida que invade seu coração. Será Violet capaz de ultrapassar tudo para alcançar asua liberdade?

Surpreendente, eletrizante e incrivelmente impactante, A Joia trata-se de uma distopia de estreia da autora note-americana Amy Ewing e, após terminada a leitura do livro, o leitor certamente irá se questionar se este é realmente o primeiro livro da autora.

Amy Ewing foi feliz na originalidade de sua história. Escrita atemporalmente e em uma sociedade diferente do que estamos acostumados, porém muito bem desenvolvida e detalhada, o enredo retrata a liberdade como real riqueza ao fazer uma analogia à escravidão.

O livro é narrado através do ponto de vista de Violet, de modo que tenhamos acesso em primeira mão aos pensamentos e sensações da menina. A protagonista, muito bem caracterizada, é uma personagem de forte personalidade, inteligente e centrada.

Mesmo passando por situações de extremo desagrado, a menina é capaz de recompor-se e observar tudo que poderá lhe servir de utilidade no futuro. Com relação aos personagens principais, ainda que os conheçamos através do ponto de vista de Violet, é bastante fácil conhecê-los afeiçoarmo-nos – ou não – com eles devido à boa construção e descrição de cada um.

O romance desenvolvido ao longo da trama é, no mínimo, empolgante. Devido ao fato de ser um relacionamento proibido e secreto, cada cena que o casal principal divide faz o leitor imaginar se será a última, de modo que a leitura se torne ainda mais excitante e simplesmente impossível de ser interrompida.

O desfecho do primeiro volume não poderia ter sido melhor: um acontecimento impactante que certamente obrigará o leitor a desejar a continuação quase que imediatamente, além de uma descoberta chocante exatamente na última página, fazendo com que a necessidade por dar continuidade à história torne-se extrema. Por isso, aí vai uma dica: se você costuma ler a última página do livro, não faça isso com A Joia, ou certamente irá se arrepender.

Deixe seu comentário

* campos requeridos

Comentar via Facebook