[Resenha] A Sorte do Agora, de Matthew Quick

A Sorte do Agora
Autor(a): Matthew Quick
Editora: Intrínseca
Páginas: 224
Avaliação: 4.3
Capa: 5 Diagramação: 4 Conteúdo: 4

Bartholomew Neil é filho único e acabou de perder a mãe. Aos 40 anos, ele vê uma forma um tanto criativa de lidar com o luto. Já que sempre fingiu ser Richard Gere a fim de agradar a mãe em seus últimos meses, ele se sente quase íntimo do ator (afinal, foram a mesma pessoa por muito tempo – ou quase isso!). Ele começa a escrever cartas para Richard.

O livro inteiro é formado pelas cartas que Bartholomew envia para o ator, às vezes falando de um filme no qual ele atuou, outras fazendo referência à vida pessoal de ambos. É através dessas cartas que vamos conhecendo a vida do cara de 40 anos que muitas vezes parece excessivamente inocente – e isso não necessariamente é uma crítica.

Acontece que ele não tem amigos, os médicos e enfermeiros que acompanharam os momentos de sua mãe também não parecem simpatizar tanto assim com ele, ainda que todos tenham entrado na brincadeira de chamá-lo de Richard (sem sobrenome, para ser informal é claro) e o que ele tem de mais próximo é uma psicóloga e um padre. Este, por sinal, um poço de surpresas.

A Sorte do Agora é um livro fácil de ler, mas que demora um pouco a engatar. Fiquei querendo conhecer logo a história e ver como ela ia se desenvolver, e custei um tempo para entender o caminho que ela seguiria. Entretanto, uma vez passada essa fase, é inegável: Matthew Quick sabe contar uma história com efeito.

É incrível o desenvolvimento das personagens e como Bartholomew foi mudando no meu conceito ao longo da narrativa. Gostei do final, fui tocada pela sua forma de entender o mundo ao seu redor, que ele estava descobrindo somente agora, e por todas as situações que ele passa.

Das personagens secundárias, é claro que o Padre é o que mais chama atenção. Matthew teve um cuidado especial e soube equilibrar, a todo momento, o irônico e engraçado com o sério. E, como sempre, fez isso muito bem.

Sem dúvida recomendo para quem quer uma leitura com conteúdo, mas ao mesmo tempo em tom leve.

Deixe seu comentário

* campos requeridos

Comentar via Facebook