[Resenha] Amos e Masmorras – A Missão, de Lena Valenti

Amos e Masmorras - A Missão
Autor(a): Lena Valenti
Editora: Editoria Vanir
Páginas: 352
Avaliação: 3.5
Capa: 3 Diagramação: 3.5 Conteúdo: 4

Novas personagens principais, nova história, background similar

Amos e Masmorras é uma série que, de dois em dois volumes, encerra a história de um casal. Hoje, a série conta com 8 títulos no total. O terceiro, Amos e Masmorras – A Missão, foca na história de Leslie Connelly, irmã de Cleo, e Markus, apresentado no volume anterior.

Markus e Leslie se conheceram durante a missão que deu nome à série. Agora que essa parte terminou, a agente do FBI vai se unir ao agente da força russa para descobrir todo o tráfico de mulheres. Em suma, o que viram de forma superficial nos volumes anteriores, agora é explorado em detalhes.

Claro que, depois das ações de Leslie durante o torneio, Markus quer “dar o troco” – e quando o assunto é sexo, é óbvio que Leslie vai aceitar. O problema começa de verdade quando ambos se veem apaixonados, e um deles não quer admitir.

Amos e Masmorras – A Missão perpassa por questões de autoaceitação e valorização. O foco não está no sexo BDSM e, honestamente, acho que não está me nenhuma forma de sexo. Aqui o foco está em toda a questão policial, muito mais intensa neste volume, e no romance do casal principal.

Não tenho muita certeza se gosto desse modelo de dois livros para cada casal. Algumas coisas poderiam ser resolvidas em um só volume, ainda que a ação toda, de fato, caiba bem em dois. É irritante, entretanto, o tanto de tempo que demora para Markus e Leslie se resolverem.

O final, um tanto surpreendente, nos faz querer ler o próximo volume para ontem. Cria-se todo um perfil para Markus que, em vários aspectos, se cumpre. Mas se tem uma fala que Leslie repete constantemente e que eu não poderia concordar mais, Markus é, em muitos sentidos, covarde – o que menos se espera de um homem como ele.

Recomendo a leitura, mas admito que muito mais pela parte policial. Se está pensando na parte erótica, ou do romance, talvez o livro não te agrade tanto assim – ainda que a narrativa seja muito conquistável.

Deixe seu comentário

* campos requeridos

Comentar via Facebook