[Resenha] Amos e Masmorras, de Lena Valenti

Amos e Masmorras
Autor(a): Lena Valenti
Editora: Universo dos Livros
Páginas: 416
Avaliação: 4.5
Capa: 5 Diagramação: 4.5 Conteúdo: 4

Infinitas referências, atual e obviamente quente

Cleo tem um objetivo: trabalhar no FBI, assim como sua irmã, Leslie, e o conhecido de infância, amigo de sua irmã, Lion. O problema é que ela não passou na entrevista – há momentos para a honestidade e ela não soube trabalhar o timing para a sua.

Agora, ela tem uma nova chance de provar que o FBI é o lugar perfeito para ela, ainda que não seja, nem de perto, o melhor das situações: sua irmã desapareceu enquanto trabalhava em uma missão relacionada ao tráfico de pessoas em um ambiente BDSM. Seu companheiro de missão foi encontrado morto.

Para descobrir onde e como Leslie está, ela precisa se envolver no meio com discrição. O grande momento para as investigações é um evento, Dragões e Masmorras, e o convite só é enviado para ama/os e submissa/os. Para conseguir ir, precisa ser praticante de BDSM e estar disposta a coisas que jamais imaginou que praticaria. Até receber e aceitar a missão, até descobrir que seu companheiro seria Lion.

Honestamente, gosto da premissa de Amos e Masmorras. Gosto da narrativa em si – é envolvente do início ao fim – e de como a história se desenvolve. Lena Valenti faz diversas referências à nossa realidade, desde livros (e, sim, você imaginou o livro certo) até séries de televisão, o que me faz pensar que hoje o livro cai muito bem, no futuro talvez não. Ainda que não acredite que isso é um problema.

Cleo é uma mulher formada, tendo sua paixãozinha de infância e achando que não é correspondida. A missão cai muito bem e muito mal, ao mesmo tempo, e acho interessante como se dá o envolvimento de Cleo e Lion.

Lion, é claro, tem todo o perfil que nos faz (ou pelo menos me faz) suspirar. Em alguns momentos, entretanto, sua postura não corresponde ao esperado e ele passa a imagem errada sobre si. Quando ele não ouve Cleo, que está dizendo a verdade, e a pune mesmo assim, por exemplo. No final das contas, ele é carinhoso, amoroso e claramente apaixonado, mas a falta de confiança nela, exposta em dois momentos, não cai bem.

O final nos deixa ansioso para a continuação, onde, acredito, terá mais ação policial e, obviamente, sexual. O segundo livro, sem dúvida, tem ainda mais potencial que o primeiro e estou curiosa para ver o que vou encontrar.

Deixe seu comentário

* campos requeridos

Comentar via Facebook