Resenha | Antes de Partir, de Colleen Oakley

Antes de Partir
Autor(a): Colleen Oakley
Editora: Bertrand Brasil
Páginas: 320
Avaliação: 5
Capa: 5 Diagramação: 5 Conteúdo: 5

Antes de Partir conta a história de Daisy, uma jovem mulher de 27 anos que já venceu uma vez o câncer. Agora, entretanto, ela se vê de frente para um novo desafio. O câncer está de volta, e ela descobre isso dias antes de partir com o marido Jack para uma viagem para comemorar o aniversário a doença.

Na segunda, após a viagem, ela vai ao médico e ele, calmamente, diz que ela está no estágio 4, quando a doença já se espalhou para várias áreas, e que qualquer tratamento prolongará sua vida, mas dificilmente a deixará curada. Informação que não é fácil de absorver.

Daisy, então, começa a passar pelos estágios da dor: a descoberta, a negação, a depressão. Ela demora um tempo para perceber que o que mais a preocupa no momento não é exatamente morrer, mas sim deixar Jack para trás. Jack, que vai se formar no segundo doutorado em breve, mas não tira as meias do lado da cama, nem lava roupa, nem consegue ajudar na arrumação da própria casa.

Então, a ideia brilhante: ela precisa arrumar uma outra esposa para Jack. Alguém que, quando ela se for, será capaz de cuidar dele como ela cuida. O problema é que enquanto a ideia está só no planejamento, pode até parecer razoável, porém quando é posta em prática entra a grande questão: ela quer Jack feliz, mas ela não quer ser feliz ao lado dele durante os meses que ainda lhe restam também?

É com essa temática que o livro de Colleen Oakley se desenvolve. E, admito, a princípio não estava muito animada com o que ia ser contado. Para mim sempre esteve claro que, se ela ainda tem um tempo de vida, tem que fazer o possível para aproveitá-lo. E tirar de sua própria vida alguém que ela ama e que a ama também, bem, não é mesmo a melhor opção.

Logo nos primeiros capítulos, entretanto, comecei a me apaixonar pela história. Primeiro que, por mais que tenha um tema bem depressivo, não é um livro sério o tempo todo. Peguei-me rindo em muitos momentos, quando Jack e Daisy estavam juntos. Ou quando sua melhor amiga aparecia e reclamava sobre coisas cotidianas.

Mesmo quando o câncer – na forma de ameaça real – aparece e a narrativa fica mais pesada, há uma simplicidade e exploração de sentimentos muito bem descrita. É claro que é o típico livro que nos deixa com os olhos com algumas lágrimas (muitas, se você não tiver um autocontrole muito bom), mas é mais que isso. É mais que outra história sobre câncer.

É sobre relacionamento, aceitação e fazer o possível para tudo dar certo. É sobre felicidade, amor e família. É sobre sonhos e realizações. É sobre essa nossa mania de deixar tudo para depois em vez de fazer o que nos faz bem hoje, agora. E é por isso que recomendo esse livro para qualquer leitor. Porque não tem como se arrepender da leitura.

Deixe seu comentário

* campos requeridos

Comentar via Facebook