[Resenha] Asas, de Aprilynne Pike

Asas
Autor(a): Aprilynne Pike
Editora: Bertrand Brasil
Páginas: 294
Avaliação: 4.3
Capa: 5 Diagramação: 4 Conteúdo: 4

Asas poderia ter sido mais explorado caso usasse uma linguagem menos infanto-juvenil, que, claro, dá ao livro um ar menos sério e, consequentemente, mais de brincadeira.

Começa meio fraco, principalmente pelo aspecto da escrita simples numa história que, a princípio, não tem muita informação nem atividade. Em certos momentos, a escrita torna-se um aliado por tornar a leitura mais rápida.

O desenvolvimento do livro, na minha opinião, é seu aspecto forte. A cada capítulo vemos a história se desenvolver, ficar mais complexa e, logo, acabamos tendo maior interesse nela e sobre as aventuras das quais a personagem principal vai viver.

Por ser o primeiro livro, é um livro de apresentação, introduzindo em nosso conhecimento o mundo no qual estamos prestes a entrar e então tornar verdadeira as aventura, passando pelas verdadeiras dificuldades. Portanto, como era de se esperar, este provavelmente será o livro mais calmo da série.

Laurel começa a se descobrir como fada a partir de uma flor, parecida com uma asa, que brota em meio às suas costas. Apavorada, seus chutes vão de espinha, até câncer e de câncer até a incompreensão absoluta.

Sem querer perguntar para a mãe o que aquilo é, ela tenta resolver a situação sozinha, até não conseguir mais e contatar David. O amigo com segundas intenções é quem a ajuda nas aulas de biologia e com quem inicia, aos poucos, uma paixão.

Entretanto, depois da mudança, nada é tão fácil, nem tão difícil, quando se tem Tamani ao seu lado, mesmo que não literalmente. A descoberta quando volta para sua antiga casa a deixa intrigada: quem é ele? O que ele diz é verdade? Por que se sente tão atraída? São nessas dúvidas que a escritora se baseia para escrever um livro que, certamente, é uma leitura agradável.

Aprilynne Pike explica, a partir da experiência de Laurel, o que seriam fadas e quais suas características. O livro, portanto, funciona muito bem como apresentação para a versão que Pike conta, que inclui um mundo novo (Avalon), mas, ao mesmo tempo, tão conhecido; trolls – seres quase humanos deformados.

Acho interessante que por mais que a personagem se pegue dividida entre os dois homens que lhe aparecem, a escritora não foca neles nem em suas contradições de forma exaustiva, fica difícil então “taxar” Laurel de alguma coisa a não ser inocente. É uma história com bastante potencial. Vamos aguardar os próximos!

Deixe seu comentário

* campos requeridos

Comentar via Facebook

5 comentários

  1. Suzana Sabino em

    Ainda não li nenhum livro com fadas, pois não é um tema que me interesse tanto, assim como o sobrenatural em geral. :/
    Mas a capa do livro é bonita e a história desse primeiro livro deve ser mais uma introdução mesmo, como é o primeiro livro em muitas séries. Bom, mas não descarto a possibilidade de ler. Vamos esperar o próximo volume. Quem sabe não fica mais interessante, não é?!
    Beijos.

    Responder
  2. Caçadora de Livros em

    Gostei da sua resenha, pois você apresenta os pontos positivos e negativos!
    Parabéns! ^^
    Abs,

    Responder
  3. Babi Lorentz em

    Eu amei Asas, Camille!
    Li em Inglês e praticamente fiz com que o livro descesse guela abaixo, hahhaa.
    Achei muito bem feito e achei uma ótima ideia. Sem contar que foi meu primeiro livro sobre Fadas.
    Beijos

    Responder
  4. Davi Araújo em

    Ainda não li nenhum livro sobres fadas, até tenho um aqui mas ainda não o li. Pelo que parece esse parece ser um livro mais introdutório, com uma narrativa mas lenta, coisa que eu não gosto muito. Li algumas opiniões negativas do livro. Não sei se leria.

    Responder
  5. Erica Marts em

    Fada planta? Sério?
    Acho que não li nada com protagonista fada planta antes.
    Fiquei curiosa pra saber que tipo de pano de fundo a autora criou.
    Sobre a linguagem talvez melhore no livro 2.

    Responder