[Resenha] Capitolina – O Poder das Garotas

Capitolina
Autor(a): Várias
Editora: Companhia das Letras
Páginas: 160
Avaliação: 5
Capa: 5 Diagramação: 5 Conteúdo: 5

“A revista on-line Capitolina surgiu em 2014 como uma alternativa à mídia tradicional voltada para as meninas adolescentes. Sua proposta é criar um conteúdo colaborativo, inclusivo e livre de preconceitos, abordando temas como relacionamentos, feminismo, cinema, moda, games, viagens e muito mais”

Se você já conhece a Revista Capitolina vai se encantar ainda mais com as riquezas de detalhes e cuidados, mas, acima de tudo, o carinho no conteúdo a cada página. Com textos já conhecidos do site e alguns inéditos, numa linguagem clara e nunca subjugando suas leitoras, as Capitolinas discutem temas recorrentes na sociedade, deixando claro que o Empoderamento é o caminho.

Quem não conhece o poder das garotas, não precisa temer: com um texto Às vezes bem didático, logo no capítulo de abertura, você ganha uma aula identificação de gênero, um tema que carece de debate, com um esquema ilustrando de forma simples que o órgão genital não define sua identidade ou, muito menos, quem você vai se relacionar. É assim, de cara você entende que ser mulher é uma construção e não definição.

No segundo texto “Você nasceu para isso: ser um milhão em um” (um dos meus preferidos) Beatriz Trevisan fala sobre como é falha a tentativa de determinação de destino através de uma característica e/ou talento, da confusa “condenação” que existe pelos moldes sociais convencionais impostos pelos estereótipos engessados.

Já em “Corpos invisíveis” três desabafos e, por que não dizer, testemunhos de meninas gordas, negras e trans. No final desse capítulo, uma atividade com base no poema “In: Um útero é do tamanho de um punho” de Angélica Freitas que propõe para a leitora uma interpretação em forma de desenho ou texto que expresse e represente seu corpo sob uma visão positiva.

As atividades são um charme à parte! No final de alguns capítulos, mais que “passatempo”, fica bem nítido que foram pensadas com cuidado para continuar o debate, seja incentivando a extravasar seu lado criativo, ou colocar no papel um segredo nunca revelado, afinal esse é um lugar seguro. E é mesmo.

Livro Capitolina

Em todo livro Capitolina você encontra ilustrações, feitas por 23 artistas que integram o coletivo. São imagens que fluem entre as palavras, afinal de contas, a militância é assim: se tiver difícil de entender, as Capitolinas explicam outra vez e desenham.

O poder das garotas é um excelente presente para meninas de todas as idades, e que deve ser lido em vários fases da vida, pois os temas são sempre atuais. Eu li, minha mãe vai ler e se eu tivesse uma prima com 12 anos ela também leria.

Vale dizer que, como não se trata de um livro com uma trama central não o tipo de obra que você senta e devora! Eu li aos poucos, fora de ordem, indo e voltado nos textos e as vezes até escolhendo o sobre qual tema queria pensar no momento. É importantíssimo procurar as referencias citadas nos capítulos para agregar valor e conhecimento.

Recomendo, muito.

Deixe seu comentário

* campos requeridos

Comentar via Facebook