[Resenha] Champion, de Marie Lu

Champion
Autor(a): Marie Lu
Editora: Rocco
Páginas: 304
Avaliação: 4.5
Capa: 5 Diagramação: 5 Conteúdo: 3.5

Mesmos pontos positivos, mesmos pontos negativos

Oito meses depois de Prodigy, Champion se inicia com Day sendo herói da nação. June, como esperado (ainda que eu tenha torcido por uma atitude), entrou oficialmente para a vida na política.

Tudo indica que Colônias e República caminham para a total paz – até que o esperado finalmente acontece. O irmão de June nos chamou atenção para o fato no primeiro livro, e é claro que ele acontece aqui.

Uma hora, seria criado um vírus que ninguém poderia curar, pelo menos não facilmente. É ele que chega às Colônias e contagia cada vez mais pessoas – levando Day de volta à República.

Novamente, encontrei o problema de sentir pouco com as personagens. Não gostei muito de como o romance (a parte que sempre me empolgou muito no livro) se desenvolveu e, apesar de ter sido absolutamente original, não me dei por satisfeita.

Champion, entretanto, é “distópicamente” muito melhor que os outros dois livros da série. A narrativa é rápida e direta, como foram os demais, mas ganha na originalidade e no desenvolvimento.

É um livro que faz qualquer leitor ficar ansioso e não largar, as pontas soltas finalmente se encontram e posso ver como exatamente muitas pessoas se apaixonaram e ainda vão se apaixonar pela trilogia.

Marie Lu conseguiu me deixar curiosa sobre seu trabalho, mas não apaixonada. É engraçado porque, novamente, ele ficou no meio termo não tão bom entre Jogos Vorazes (romance não é o foco, distopia sim) e Divergente (romance é o foco, distopia é o cenário).

Difícil classificar. Difícil não gostar, mas difícil também amar.

Já leu as resenhas dos outros volumes da trilogia?

Resenha Legend, de Marie Lu Resenha Prodigy, de Marie Lu

Deixe seu comentário

* campos requeridos

Comentar via Facebook