Resenha | Cidade do Fogo Celestial, de Cassandra Clare

Cidade do Fogo Celestial
Autor(a): Cassandra Clare
Editora: Galera Record
Páginas: 532
Avaliação: 4.7
Capa: 5 Diagramação: 5 Conteúdo: 4

Por Gabriel Martins
exclusivamente para blog.beletristas.com

Sete anos após o lançamento de “Cidade dos Ossos” nos Estados Unidos, Cassandra Clare finaliza Os Instrumentos Mortais com o sexto volume, Cidade do Fogo Celestial. Ainda que não seja um ponto final para os Caçadores de Sombras, Clare soube desenvolver um fim satisfatório para o primeiro capítulo de seu vasto universo.

É chegado o confronto final entre Sebastian e os Caçadores de Sombras. Nem mesmo Jace e Clary parecem ter forças para deter o vilão. Sua sede por vingança é maior e mais poderosa do que qualquer Instituto poderia prever. O início do fim para os nephilins pode estar próximo.

Pisando em cacos de vidro, Cassandra Clare tinha o dever de dar um desfecho impecável em Cidade do Fogo Celestial para seu trabalho mais importante.

Sua narrativa continua avassaladora e a construção da atmosfera sombria que envolve Nova York é fascinante, com descrições detalhadas e um toque quase apocalíptico. Todos os elementos usados pela autora são de tirar o fôlego, obrigando o leitor a devorar quase 600 páginas em um curto período de tempo.

A solução para os dilemas das personagens foi bem pensada e não deixou grandes dúvidas sobre o enredo. A magia contida no primeiro livro pode ser sentida ao longo dos capítulos, e foi um dos fatores que me deixaram encantado. Os pontos mais altos do livro se deram às cenas de batalha e romance.

Um dos únicos problemas deste volume é a pressa com que a autora tratou os problemas e conflitos. Tive a impressão de uma escrita desnorteada, que não encontrou o ponto certo na divisão das personagens. Tudo parece ocorrer com muita rapidez, confundindo por vezes o leitor mais desatento.

Tendo em vista que este foi o capítulo final para a série, Clare poderia ter economizado no destaque dado a Julian e Emma, protagonistas da trilogia que sucede Os Instrumentos Mortais. A ganância em apresentá-los foi superior à vontade de focar em muito do que aconteceu e poderia ter sido estendido.

Quanto à edição de parabenizo a editora, que respeitou os consumidores e manteve a capa em papel holográfico e com o logotipo antigo na lombada. Foram pequenos detalhes que eles tiveram o cuidado de adaptar para não decepcionar ninguém.

Em poucas palavras, “Cidade do Fogo Celestial” foi um bom final, ainda que caótico e corrido. Cassandra Clare consegue deixar seus fãs curiosos por mais, mesmo que sua paixão por Caçadores de Sombras pareça não ter fim.

Leia a resenha dos livros anteriores

» Cidade dos Ossos; » Cidade das Cinzas; » Cidade de Vidro; » Cidade dos Anjos Caídos; » Cidade das Almas Perdidas.

Deixe seu comentário

* campos requeridos

Comentar via Facebook