[Resenha] Cinquenta Tons de Cinza, de E.L. James

Cinquenta Tons de Cinza
Autor(a): E.L. James
Editora: Intrínseca
Páginas: 480
Avaliação: 4.7
Capa: 4.5 Diagramação: 4.5 Conteúdo: 5

Um dos livros mais vendidos do mês gera uma dúvida em seus futuros leitores: a repercussão é devido o livro em si ou ao assunto polêmico? Erótico acima de romântico, E. L. James prepara seus leitores para uma história um tanto diferente em suas entrevistas, admitindo que a trilogia surgiu da curiosidade por situações, digamos, não convencionais.

Como se “sexo” não fosse, por si só, um assunto ainda muito polêmico – não cabe aqui discutir motivos, razões ou comparar à sociedade atual – o livro fala de sadomasoquismo de forma extremamente sexy utilizando basicamente duas personagens: Cristian Grey, o homem jovem, rico, misterioso, pelo qual todas as leitoras se apaixonarão, e Anastasia, a inteligente, ingênua e totalmente inexperiente.

Não querendo entregar a história, não pretendo falar muito dela. Eles se conhecem pelo acaso e, desde o início, a tensão sexual predomina na troca de olhares, nos toques ao acaso e na conversa que, na teoria, não deveria ser muito complicada.

Ana, ou Anastasia, é o tipo de mulher que acredita no amor e quer exatamente isso para si. Por ironia do destino, apaixona-se por Cristian, que diz “não namorar”. Opostos se atraem (ou algo similar a isso), o amor de ambos surge mesmo que sob formas diferentes.

Ele tem uma história, e, como sempre, ela faz dele quem ele é. Sua vida é um mistério, assim como os caminhos que percorreu para chegar ao que é. Ana, todavia, está apaixonada. Perdidamente. E mulheres perdidamente apaixonadas geralmente não desistem, procuram outros pontos de vista e ainda aceitar o que para ele é essencial.

Ela, importante dizer, não se anula totalmente, ela ainda tem opiniões, vontades, pensamento e personalidade fortes. Exatamente o que o atrai tanto e o faz arriscar ir além do que ele jamais foi para poder estar com ela.

Erótico, sim. Cinquenta Tons de Cinza contém sim muitas cenas quentes. Todavia há algo por trás que nos motiva a continuar lendo: queremos saber mais sobre ele, queremos saber se eles se tocaram que aquilo que sentem é o que chamam de amor e que podem usá-lo para superar as diferenças, queremos saber até que ponto um pode abrir mão pelo outro, até onde estão dispostos a ir pelo outro.

Ficamos curiosos, queremos chegar à próxima página não porque queremos ler mais uma forma diferente de sexo, mas sim porque queremos descobrir o desenrolar daquela história. Coisa que, vou prevenindo, acredito mesmo que só o último livro vai poder nos satisfazer.

Por tudo isso, mais pela história que pela escrita da autora – que, apesar de boa, não é excelente – o livro merece sim 5+ estrelas na minha opinião. Ele poderia ser melhor em alguns aspectos, certamente ele não é totalmente positivo, tem seus pontos fracos, principalmente quando falamos na forma da narrativa e frases meio soltas que às vezes fazem o favor de estragar o clima da leitura, todavia, em seu contexto geral, me é impossível dar uma nota menor.

Ei, já conferiu a resenha dos outros volumes?

Resenha Cinquenta Tons Mais Escuros Resenha Cinquenta Tons de Liberdade

Deixe seu comentário

* campos requeridos

Comentar via Facebook

7 comentários

  1. Janaina Barreto em

    Vejo algumas meninas apaixonadas pelo Cristian Grey, mas não fui fisgada… Não pelo gênero, mas sei lá… Já vi amigas minha comentando sobre a “qualidade duvidosa” e até “tosquice” do livro (narrativa fraca, por exemplo). Não é algo que eu “preciso” ler… Mas quem sabe um dia.

    PS: embora você ache que podia ser melhor em algumas coisas, ainda deu nota máxima pelo “querer mais” que o livro proporciona. Acho importante saber separar as coisas (eu não sei haha). Muito bacana, Camille!

    Beijos ;*

    Responder
  2. Lilian Britto em

    OMG, doida p q o exemplar que comprei chegue logo pra eu me jogar na leitura. Esse é um livro controverso né, ou amam ou odeiam. Eu pretendo ler e dar minha opinião sincera e de cara, só pela sua resenha, tenho certeza que vou curtir ^^
    Beijos, ótima semana =*

    @morenalilica1:disqus

    Responder
  3. Thaís Damin em

    Depois que li uma reportagem que dizia que era praticamente o maior fenômeno em vendas depois de Harry Potter, fiquei muito mais interessada. É a primeira resenha que leio do livro, e gostei bastante. Mudou um pouco a imagem que eu tinha do livro ser ‘pura safadeza’ ou algo do tipo. Não é um livro que eu preciso ler, mas acredito que mais para frente acabarei lendo rs.

    Responder
  4. Ana Caroline em

    Humm, não é um livro que esteja desesperada pra ler, até pelos motivos que você apontou: a narrativa; li alguns trechos na internet e o primeiro capítulo e, na minha humilde opinião, a James é muito amadora. Mas, não sei, tenho prioridades literárias e com certeza essa não é uma delas (talvez já foi); todavia, é provável que eu leia até o final do ano.
    Ótima resenha, aliás. bom saber que o livro tem essa coisa de te deixar esperando por mais 🙂

    Responder
  5. Thalles Marques em

    Estou tentando tomar coragem e comprar a trilogia em inglês mesmo, mas ainda não sei se vou arriscar nessa série.

    Responder
  6. Angela Gabriel em

    Como estou com esse livro para ler(não aguentei a ansiedade e comprei logo meu exemplar)…rs ainda não conheço muito da história. claro, leio aqui e ali sobre o charme do Grey…
    Acredito que os romances eróticos andam ganhando cada vez mais espaço e na boa, é bom ver que vários tabus vão ser quebrados.

    Beijos

    Responder
  7. Paty em

    Já ouvi tanto falar desse livro que minha curiosidade só aumenta a cada dia, mas tenho que concorda que não sei se esse falatório todo é pelo livro ou por ser erótico. Quero ler porque sou muito curiosa, mas estou em duvida se vou gostar realmente.

    Responder