Resenha | Criaturas Estranhas, contos selecionados por Neil Gaiman

Criaturas Estranhas
Autor(a): org. Neil Gaiman
Editora: Rocco
Páginas: 400
Avaliação: 4.3
Capa: 5 Diagramação: 4.5 Conteúdo: 3.5

Quando fui ler a coletânea de contos selecionados por Neil Gaiman (todos são precedidos por comentários do próprio), Criaturas Estranhas, pensei de cara que ia amar, pois além de adorar universos fantásticos e sobrenaturais, tudo que é estranho de algum modo ganha minha afeição. Porém, me decepcionei com as histórias, esperava mais.

Os contos cumprem o prometido com o título, ou seja, focam nas criaturas em si. Só que, por não aprofundarem muito, as histórias acabam ficando rasas e superficiais. O foco está na aventura e na bizarrice dessas criaturas, não nos seus sentimentos ou no passado de cada uma — um tipo de abordagem que me interessa muito mais.

Estava esperando algo que criasse, de alguma forma, uma identificação com o leitor; as personagens (como bem sabemos) não precisam ser humanas para nos permitir que nos coloquemos no lugar deles e criemos empatia. É só lembrar daquelas fábulas que tinha bichos como protagonistas e uma moral da história no final, a fim de ser transmitida pras crianças.

São 16 contos, cada um escrito por um autor diferente, que tem como objetivo provocar a imaginação do leitor e assustá-lo. O primeiro quesito foi atingido com sucesso, mas o segundo, pelo menos pra mim, não teve efeito. Contudo, talvez o público alvo do livro tenha sido o infantil mesmo.

Caso seja isso, a proposta foi cumprida, pois o sobrenatural é tratado de uma forma bem leve, de maneira que não cause pesadelos para o leitor. Dá para uma criança ler tranquilamente já que além de terem uma atmosfera de sonho infantil, meio Monstros S.A, todas tem uma pegada um pouco humorística. É, portanto, mais fácil a criança rir e se divertir com elas do que perder o sono por medo delas.

Mesmo me decepcionando com os contos, não posso negar que todos são regados de criatividade e que a maioria das criaturas retratadas neles são extremamente exóticas e lúdicas. Para o leitor mirim é ótimo, porque atiça a fantasia deles e os faz sonhar.

Mas pra quem precisa de uma pitada de drama a mais ou um aprofundamento psicológico, vai ficar desapontado. Alguns contos como O grifo e o cônego menor e Ozioma, A Maligna, até nos fazem criar uma expectativa maior em relação a isso, mas nos deixam só na expectativa mesmo.

Deixe seu comentário

* campos requeridos

Comentar via Facebook