[Resenha] De Repente, O Amor

De Repente, O Amor
Autor(a): Susan Fox
Editora: Única
Páginas: 366
Avaliação: 4
Capa: 4 Diagramação: 4 Conteúdo: 4

Uma brincadeira que deu certo.

Nav Bharani quer ser muito mais que melhor amigo de Kat Fallon. Ao longo de dois anos, ele se mostrou a companhia perfeita – exceto pela parte que Kat mais procura nos homens – e, agora, decidiu agir.

Aproveitando a oportunidade de ser o namorado fictício de Kat no casamento da irmã mais nova dela, ele finalmente tira a barba, corta o cabelo, compra roupas de qualidade e se apresenta à ela como outra pessoa.

Ela, por sua vez, não cai (por muito tempo). Mas ninguém disse nada sobre recusar a brincadeira de imaginá-lo como outra pessoa e poder ter noites – e dias, e madrugadas, e tardes – incríveis com ele ao longo dos três dias de viagem de trem.

Nav, que não é burro, utiliza a aparência diferente para mostrar à Kat quem ele também é, sem afastá-la no processo. Sim, ele é seu melhor amigo, mas também é sexy, bom de cama, bonito, engraçado, espontâneo e por aí vai. Nav mostra que, na verdade, ele é perfeito para ela.

De Repente, O Amor foi diferente para mim por não se tratar apenas de sexo. Na história, ele foi uma aventura que não é tão longe do comum (não vamos discutir a questão de ir para cama com um cara na primeira vez que o encontra) que possibilitou que duas personagens se conhecessem melhor.

E não estou falando que esse “conhecer melhor” para na questão sexual. Ele passa pela falta de inibição caminhando para as personagens falando sobre sentimentos, situações, verdades que escondem de todo o mundo.

É sobre isso que Susan Fox escreve, mesmo que o tema erótico seja o que vai levar o livro até os leitores. Achei interessante o fato dela incluir uma família indiana e seus costumes em meio ao nosso dia a dia, ainda que indiretamente.

Verdade seja dita: não é o livro mais incrível do mundo. Mas é gostoso de ler, porque queremos ver como a situação toda vai desenrolar. Todavia, fica o aviso: a revisão do livro falha muitas e muitas vezes. Erros grotescos na diagramação e alguns de português (não tão grotescos assim) que uma boa revisada nos pouparia.

Deixe seu comentário

* campos requeridos

Comentar via Facebook

2 comentários

  1. Amanda Galgany em

    Caramba… Eu vou ter que ler outo livro urgentemente, paea que esse “De repente o amor” saia da minha mente!!!
    É iss mesmo!! Haveria algum problema se no livro tivesse um final feliz pro Nav e sua família? Como é difícil voce se doar pelo livro por interira, se envolver na historia e no final se decepcionar! Que coisa meu!! Vou ter que esquecer belamente dessa história!!
    Agradeço se tiver um livro que continue a história de Nav e Kat afinal deu início a uma linda história no livro e antes de muito chegou ao fim.. Tragico isso!!!!
    Nao iria reclamar se o livro tivesse o dobro de páginas pra ler mas que tivesse a história completa, os filhos do casal, o final feliz com a família de Nav, a compra da casa deles.. Tudo isso iria adorar saber!!
    # adoro ler e sofro com esses finais!

    Responder