[Resenha] De Repente, O Desejo

De Repente, O Desejo
Autor(a): Susan Fox
Editora: Única
Páginas: 380
Avaliação: 3.2
Capa: 2.5 Diagramação: 3.5 Conteúdo: 3.5

Desejo que podia ter sido muito melhor explorado.

Merilee Fallon está apaixonada pelo romance de duas três irmãs. Theresa achou seu “felizes para sempre” com o escritor famoso, Kat com o vizinho e melhor amigo, e Jenna com o cientista certinho. Ela, entretanto, achou o seu ainda muito nova, e nunca teve motivo para querer outro.

Até ver de perto as maravilhas que as irmãs estão passando e que ela nunca viveu, nunca sentiu. É por isso que, às vésperas do casamento, ela o cancela. Matt, sem entender nada, não sabe exatamente o que fazer – principalmente depois que os questionamentos de Marilee acabam virando também os seus.

Quando percebem, estão partindo para a sua viagem de lua de mel juntos, porque nenhum deles quer voltar atrás e deixar passar a oportunidade incrível do cruzeiro. E é lá que eles vão redescobrir os motivos que fizeram deles M&M.

De Repente, O Desejo é o mais fraco dos quatro livros, o que foi um tanto desanimador. Esperava que, por se tratar de redescobrir um ao outro, as experiências fossem ser mais sensuais e bem mais românticas, mas encontrei apenas a mesmice, sem nada de excepcional.

É interessante, entretanto, observar quando todas as segundas opções acabam sendo eles mesmos, antes de sequer notarem. Marilee admira um homem, para então notar que ele é Matt. E ele, por sua vez, deseja uma mulher vestida de forma diferente, para perceber que ela é sua ex noiva.

Apesar de ser coerente com as questões que Marilee colocou em pauta, os receios e tentativas acabam se tornando cansativos enquanto ela não decide se quer ou não voltar com ele, mesmo tendo a certeza de que ele é o homem certo para ela. Isso porque Matt, mesmo duvidando, sabe exatamente quem é a mulher certa para ele.

Susan Fox não terminou a série com chave de ouro. Isto, entretanto, não a torna dispensável: os outros três livros compensam qualquer falta nesse. O principal é ir sem muita expectativa, talvez assim o leitor se surpreenda mais.

Deixe seu comentário

* campos requeridos

Comentar via Facebook

1 comentário

  1. Jaqueline de Marco em

    Ai, Camille, sério que esse não foi tão bacana… gostei tanto de “De repente, o amor”. Mas, é como você disse, se eu começar a ler sem muita expectativa, quem sabe, acabe gostando. 😉
    Adorei seu post!
    Beijão. Fica com Deus!
    Jaqueline de Marco
    http://jaquelinedemarco.blogspot.com

    Responder