Resenha | Extraordinário, de R.J. Palacio

Extraordinário
Autor(a): R.J. Palacio
Editora: Intrínseca
Páginas: 313
Avaliação: 4.3
Capa: 4 Diagramação: 4.5 Conteúdo: 4.5

“Não tenha amigos que não estejam à sua altura.”

O livro de J.R. Palacio não é exatamente sobre o resultado de um problema genético. Também não é apenas sobre um garoto diferente indo pela primeira vez à escola. Se tem algo que a autora faz é explorar o lado social disso, muito além das ideias que temos de colégio norte americano.

August está no quinto ano, e se tem uma coisa que ele não gosta nas pessoas da sua idade é o fato de que elas falam as coisas sabendo o quanto podem (e muitas vezes vão) magoar outras. Quando se é criança não há filtro, nem maldade, agora, entretanto, a realidade é outra.

“Agora, pensando bem, não sei por que fiquei tão estressado com isso. É engraçado como às vezes nos preocupamos muito com uma coisa e ela acaba não sendo nem um pouco importante.”
— página 222

É essa nova realidade que ele encontra assim que aparece na escola. Já tendo sido apresentado à Jack Will, Julian e Charlotte, que, a pedido do diretor Sr. Buzanfa, mostraram a escola a ele, é um alívio quando Jack ocupa o lugar ao seu lado na primeira aula e conversa ao longo do dia. Summer é quem lhe faz companhia na hora do almoço, primeiramente por pena, mas torna isso um hábito quando vê quão divertido August é.

Essa não é nem de perto sua maior dificuldade. Julian parece fazer de tudo para tornar seu dia a dia constrangedor, com indiretas dispensáveis, e o olhar de todos os outros alunos (junto às fofocas) são uma prova constante de que ele a princípio não faz parte daquele grupo.

“[…] Não precisamos de olhos para amar, certo? Apenas sentimos dentro de nós.”
— página 232

É com esse pontapé inicial que vamos lendo a história de um garoto que se desenvolve, junto às outras personagens, de forma inquestionável. Extraordinário não é apenas mais um livro sobre um tema de certa forma popular, o preconceito. É principalmente sobre amizade, sobre se manter firme em si mesmo e confiar em quem merece ser confiado. Literalmente escolher amigos que estejam à sua altura.

Interessante notar que nem sempre sabemos da história pelo Auggie. Às vezes é sua irmã que fala, tornando-se menos heroína e mais humana a partir de seus pensamentos, ou o namorado dela, que pouco conhece dele. Outras é Jack, suportando tudo que ser amigo de uma pessoa que não está nos moldes impostos implica, e até mesmo Miranda, um exemplo desde o início.

“[…] Se cada pessoa nesse auditório tomar por regra que, onde quer que esteja, sempre que puder, será um pouco mais gentil que o necessário, o mundo realmente será um lugar melhor. […]”
— página 303

Extraordinário vai fazer você sorrir com Nate, pai de August, chorar com momentos mais intensos, querer bater palmas ao fim e poder encher de beijos uma personagem que é exemplo de determinação e coragem. Mais que isso, é uma lição de vida, que devemos carregar para sempre conosco, porque aparência não é nada comparada ao tudo que o ser humano é.

Deixe seu comentário

* campos requeridos

Comentar via Facebook