[Resenha] Fim de Tarde com Leões, de Paula Fontenelle

Fim de Tarde com Leões
Autor(a): Paula Fontenelle
Editora: Geração Editorial
Páginas: 272
Avaliação: 4
Capa: 3.5 Diagramação: 4 Conteúdo: 4.5

Um envolvimento que atingiu até mesmo os autores.

Lúcia e Pedro foram casados durante aproximadamente quinze anos. Quinze anos de muita felicidade, cuidados, algumas brigas e um filho, André, cuja vida durou apenas até aos 14 anos, morto em um acidente de carro.

Após alguns anos separados, Lúcia retoma a conexão escrevendo uma carta para Pedro, endereçando-a para o endereço que ainda tinha dele e torcendo para que ele receba. Assim começa “Fim de Tarde com Leões”. Ao longo da troca de cartas, vamos descobrindo mais sobra a história do casal e sobre a personalidade de cada um, sempre na carta do outro.

Conhecemos familiares, a rotina e o trabalho e sabemos da vida e morte das pessoas que um dia já fizeram parte do dia-a-dia da vida de ambos. O livro poderia ser apenas isso: rotineiro, mas se torna muito mais quando seus personagens são desenvolvidos de forma a contar mais que o passado e tentar reconstruí-lo: eles tentam viver o presente solidificando-o para o futuro.

O livro de Paula Fontenelle e Guzman tem um envolvimento incrível, tanto dos autores quanto como leitor. Foi o único que me fez, logo nas duas primeiras cartas, parar e comentar comigo mesma sobre o começo – e o final que me fez tremer as mãos e soltar o ar que prendia, em misto de ansiedade e nervosismo.

A ideia da autora, aceita por Guzman e tão bem executada por ambos merece destaque pela inovação, pela escrita e pelo incrível “deixar rolar” (“Fim de Tarde com Leões” não foi meticulosamente planejado) que resultou em uma obra que, ao surpreender quem escreve, causa o mesmo efeito em quem lê. Recomendado para jovens adultos e, principalmente, adultos – garanto que não se arrependerão.

Deixe seu comentário

* campos requeridos

Comentar via Facebook