[Resenha] Go Set a Watchman, de Harper Lee

Go Set a Watchman
Autor(a): Harper Lee
Editora: Harper
Páginas: 278
Avaliação: 4.7
Capa: 5 Diagramação: 5 Conteúdo: 4

Publicado nos Estados Unidos e no Reino Unido no último dia 14, Go Set a Watchman é a sequência de O Sol é Para Todos que o mundo literário aguardava com expectativa e apreensão. Para quem não conhece, O Sol é Para Todos, romance de Harper Lee, foi publicado originalmente em 1960 e recentemente relançado no Brasil pelo Grupo Editorial Record.

A história sobre racismo no sul dos Estados Unidos foi um sucesso instantâneo, vencendo o prêmio Pulitzer e tornando-se um clássico da literatura mundial. Acreditava-se que este havia sido o único livro escrito por Lee, entretanto, no início deste ano, foi anunciada a publicação de um manuscrito da autora encontrado em um cofre. E assim começou a controvérsia de Go Set a Watchman.

Apesar de se passar cerca de 20 anos depois dos eventos de O Sol é Para Todos, Go Set a Watchman teria sido escrito antes, durante a década de 1950. Por sugestão de sua editora é que Lee teria escrito um outro romance sob a ótica de uma Scout ainda criança.

Parece que a ideia seria fazer uma trilogia, com um terceiro livro entre O Sol e Watchman. No início desta semana, a advogada de Lee revelou ter encontrado um terceiro manuscrito perdido que poderia ser este livro intermediário, o que inflamou ainda mais a polêmica em torno da nova publicação, visto que a autora é uma idosa de 89 anos que teria jurado nunca mais publicar outro romance, levando muitos a questionarem se ela de fato teria dado consentimento esclarecido sobre o lançamento de Watchman.

Não vou entrar aqui na discussão se o livro deveria ou não ter sido publicado, já que não vem ao caso. O livro está aí, então vamos discuti-lo. Se você leu O Sol é Para Todos e estava acompanhando as novidades sobre o lançamento de Go Set a Watchman, provavelmente já deve ter se deparado com o super spoiler que vazou antes mesmo da publicação, já que ele estava nas manchetes de diversos portais de notícias (se por algum milagre você conseguiu se manter imune a spoilers até agora e quer permanecer assim, talvez seja melhor parar de ler esse texto por aqui).

Para quem leu O Sol é Para Todos, foi inevitável se encantar com a figura de Atticus Finch, um dos personagens mais amados da literatura. O pai de Scout e Jem era um advogado que defendia clientes negros numa sociedade marcada pelo preconceito e pela injustiça.

Suas lições de compaixão e ética fazem de Atticus a bússola moral tanto de seus filhos quanto do leitor. E foi por isso que a notícia de que Atticus tinha uma postura moralmente reprovável em Watchman chocou e arrasou tanta gente. Não quero entrar em detalhes sobre o que exatamente ele disse ou fez e recomendo que cada um leia, avalie o contexto e julgue por conta própria. Então decida ficará a opinião sobre Atticus Finch após este livro.

Não vou mentir, essa é uma leitura que dói. Dói porque trata de crescimento e crescer é um processo que envolve perdas. Tanto perdas físicas, como a morte ou o distanciamento de pessoas queridas, quanto emocionais, como a destruição da crença na infalibilidade de nossos ídolos.

Precisamos descobrir que nossos heróis são apenas pessoas e, como tais, sujeitos tanto a mudanças quanto a falhas. Para mim, esta é a questão central do romance: como continuar amando e admirando alguém após descobrir que não são exatamente quem imaginamos?

É possível ler Go Set a Watchman sem ter lido O Sol é Para Todos. Os romances são independentes. Entretanto, a leitura não teria metade do impacto, porque você precisa ler O Sol é Para Todos e ver Atticus pelos olhos da Scout de seis e nove anos.

Você precisa acreditar que ele é o símbolo de tudo o que é bom e correto, e que o mundo pode se desfazer mas ele permanecerá. Você precisa passar por tudo isso para de fato entender Scout em Go Set a Watchman.

Apesar de todo esse sofrimento, o livro vale a pena. Primeiro por causa da escrita de Harper Lee. Mesmo quando os eventos narrados não são os mais felizes, é reconfortante rever o estilo único da autora. Além disso, somos apresentados a alguns novos personagens interessantes e reencontramos antigos conhecidos, alguns dos quais ganham espaço e nos surpreendem. Os flashbacks da adolescência de Scout são maravilhosos.

Então se você amou O Sol é Para Todos e ficou decepcionado com os spoilers na mídia, meu conselho é: dê uma chance ao livro. Tente ler com uma mente aberta e sem esperar muita coisa. Você pode se surpreender.

Esta resenha foi escrita por Mariana Fonseca
e recebeu autorização da mesma para ser publicado aqui

Deixe seu comentário

* campos requeridos

Comentar via Facebook