[Resenha] Harry e Seus Fãs, de Melissa Anelli

Harry e Seus Fãs
Autor(a): Melissa Anelli
Editora: Rocco
Páginas: 350
Avaliação: 3
Capa: 2.5 Diagramação: 3.5 Conteúdo: 3

Eu, a princípio, não queria ler esse livro. O ganhei numa promoção que teve no submarino com o DVD da primeira parte de Relíquias da Morte e o livro – por R$5,00 e sem frete. Ambos vieram em perfeito estado, só para completar. E, quem gosta de ler, basta ter um livro em mãos para começar a passar os olhos e, quem sabe, se interessar. Foi isso que aconteceu comigo e este livro.

Se você não gosta de Harry Potter é praticamente certo que você não vá gostar do livro. Entretanto, se gosta e, principalmente, se o acompanha desde 2000 / 2001 (como eu) não vai resistir reviver cada momento.

Melissa Anelli é, claro, fã da série e como tantos outros não sabia o que fazer quando finalmente o fim chegasse. Ao contrário de alguns, ela faz parte de um site que era voltado somente para Harry Potter e tem contato até mesmo com a editora responsável pelos livros.

Imagine o quanto ela teve que se controlar para não forçá-la a contar cada pedacinho quando faltavam apenas cinco meses para o último livro ser lançado. Imagine uma ligação às cinco (!) da manhã a acordando avisando da notícia mais emocionante e entristecedora: o fim da saga com data marcada.

Entretanto, ao contrário do que parece, o livro não conta o que aconteceu só com ela durante tantos anos de paixão pelo bruxo que sobreviveu à você-sabe-quem – que agora já está morto mesmo e vamos chamá-lo de Voldemort sem medo. O livro conta desde o princípio, quando J.K. Rowling era uma mãe solteira num trem criando toda a história do que viria a ser Harry Potter.

É ótimo poder relembrar, através do livro, de como Harry saiu de um papel com erros de português (“Jo” Rowling – como a chamam no livro – que me perdoe por relembrar isso) e se tornou numa história de absoluto sucesso e que permanecerá na história por barrar recordes. Seja de tempo na lista de mais vendidos, seja na inovação, seja em qualquer outra coisa.

Mais ainda, é gostoso relembrar da época na qual as fanfics eram famosas e atualizadas diariamente. É emocionante ver a url do site fanfiction.net e todas as horas que fiquei lá acompanhando histórias aleatórias dos personagens da saga. Relembrar de fatos como quando a Warner resolveu que alguns sites deveriam ser moderados e a confusão que isso veio a causar – alguém mais se lembra das cartas que eles enviaram para todo o mundo?

É impossível não gostar apenas pelas memórias que o livro traz. Não foi um, dois anos de Harry Potter. Foram mais de sete. E ter como relembrar cada pedacinho dele, como surgiu, como cresceu, como se desenvolveu, até o seu fim – que pela primeira vez me fez estar em um cinema onde não havia duas pessoas que não choravam.

É relembrar de um fenômeno que deixou sua marca e vai ser impossível de esquecer. Um livro que, definitivamente, vale a pena ser lido. Garanto que as memórias valerão a pena. Só fiquem com um lencinho ao lado, para garantir não molhar o livro.