[Resenha] Los Angeles, de Marian Keyes

Los Angeles
Autor(a): Marian Keyes
Editora: Bertrand Brasil
Páginas: 490
Avaliação: 3.5
Capa: 3 Diagramação: 2.5 Conteúdo: 5

Los Angeles nos apresenta mais uma das irmãs Walsh e é o terceiro na sequência da história dessa família. Neste, conhecemos melhor a Maggie, a recatada e certinha Maggie, a um tanto quanto chata Maggie. A filha perfeita, que não erra, que não dá desgosto pra ninguém… A parte certa da família Walsh… Ou nem tanto assim.

Los Angeles vai mostrar a vida de Maggie a partir do momento que seu casamento perfeito começa a desmoronar e como ela lida com todos os problemas pelos quais está passando em sua vida. E como se não fosse pouco acabar um relacionamento, ela também precisa passar por outra situação muito ruim: acaba de perder o emprego.

Quando recebe um convite de sua melhor amiga de infância para passar uns tempos em Los Angeles, aceita sem pensar duas vezes. É a cidade dos anjos, não é? Ela poderia passar uns tempos lá, pensando na vida e tentando descobrir quando tudo começou a desmoronar.

É com esse pensamento que ela vai, mas acaba fazendo muito mais que apenas isso ao se ver no meio da vida Hollywoodiana, ao se ver num lugar com praia, que não chove, que é quente e que é cheia de pessoas que pensam apenas em trabalho, em cirurgias plásticas e em si mesmos.

Eu gosto bastante do que leio da Marian Keyes, mas como demorei muito pra começar a gostar de Férias!, acabei deixando de lado a leitura dos outros livros dela por medo de acontecer o mesmo quando começasse mais um.

Eis que no primeiro sorteio da minha TBR Jar, tiro o nome Los Angeles. Eu não iria, jamais, passar esse livro pra frente. Como disse, gosto da Marian e não queria, de forma alguma, entregar Los Angeles para outra pessoa sem ter lido para saber o que eu ia pensar sobre ele. Comecei a leitura e, em menos de três dias, alcancei a última página.

Sim, isso significa que gostei. E realmente gostei. Foi tão bom conhecer a Maggie. Saber o que ela pensava, o que passava em sua cabeça e como ela era… Foi impressionante ver que tudo o que eu pensava sobre ela caiu por terra ao ver uma história sendo contada pelo seu ponto de vista.

Foi muito bom saber que aquela característica comum dela, em ser a filha perfeita, acabou se mostrando algo bem errado. Maggie não faz tudo certo: ela erra, ela sofre quando erra, ela precisa pensar, ela precisa pedir perdão e precisa se perdoar.

Um livro incrível com uma história incrível e com um plano de fundo mais incrível ainda. Recomendado.

Deixe seu comentário

* campos requeridos

Comentar via Facebook