[Resenha] Louca por Você, de M. Leighton

Louca por Você
Autor(a): M. Leighton
Editora: Record
Páginas: 304
Avaliação: 4
Capa: 3.5 Diagramação: 4 Conteúdo: 4.5

Surpreendente e intrigante.

Olivia conhece Cash da forma mais constrangedora possível: tira sua blusa ao confundi-lo com o stripper contratado para a despedida de solteira de sua amiga. Ele, na verdade, é o dono da boate.

No dia seguinte ela descobre que ele tem um irmão gêmeo chamado Nash, que namora com sua prima metida, rica e horrível. Para piorar, ela também se sente atraída por ele.

Em pouco tempo, os irmãos se tornam muito presentes em sua vida. Um em perfeita harmonia com o outro, ainda que não se falassem muito. Cash, o bad boy, é seu novo empregador, Nash é o certinho impossível.

Ambos estão apaixonados por ela, a ponto de deixar as complicações de lado. E ela, até determinado momento, não consegue se decidir. Afinal, são absurdamente iguais, ainda que total mente diferentes.

M. Leighton mostra que as aparências enganam. Para início de conversa, Olívia não necessariamente é a mulher chata, insegura e indecisa. Ela tem personalidade, é ousada e tenta descobrir o que quer, enquanto pondera sobre o certo e o errado.

Cash e Nash são uma dupla que, a princípio, oferece muita incoerência. Não consigo deixar de pensar que é um livro que tinha tudo para dar errado – mas dá muito certo.

O desenvolvimento brilhante da autora prende a atenção do início ao fim, explora possibilidades e sentimentos, aprimora suas personagens e dá sentido ao que menos esperamos. Louca por Você pode ter um conteúdo altamente erótico, mas não é apenas isso.

O livro vai além de sexo, romance e questionamentos. Tem muito mais a promover e não deixa dúvidas sobre uma continuação possivelmente perfeita. Vai, também, além de dramas clichês e simples, não se trata apenas de um triângulo amoroso chato e de baixa qualidade.

Ao contrário, tem uma promessa e a cumpre com uma narrativa empolgante e intrigante, com dicas e toques que passam desapercebidos a todo instante. Com aparentes erros, mas que, na verdade, estão longe de ser isso.

M. Leighton merece uma chance para provar seu valor literário para pessoas que não costumam ler o gênero. Mesmo quando consideramos suas falhas.

Deixe seu comentário

* campos requeridos

Comentar via Facebook