[Resenha] Luminoso, de Alyson Noël

Luminoso
Autor(a): Alyson Noël
Editora: Intrínseca
Páginas: 192
Avaliação: 4.2
Capa: 5 Diagramação: 4 Conteúdo: 3.5

A continuação da saga de Riley é melhor que a primeira, apesar de achar que não necessariamente precisassem estar em dois livros diferentes. Após completarem a primeira missão com os Garotos Radiantes, Riley ganha uma temporada de férias com seu guia e seu cachorro.

Curiosa do jeito que é, resolve exercer seu livre arbítrio – citado por Bodhi como um meio de convencê-la a fazer o contrário – e entra em um local completamente diferente da praia que estava anteriormente.

É quando conhece Rebecca, uma menina que guarda muita raiva por ter sido assassinada e usa a raiva e a tristeza dos outros para criar seu próprio mundo, sua própria bolha. Envolvida num ciclo, Riley se vê praticamente sozinha para sair de seu momento de tristeza e raiva, relembrando momentos de sua vida terrena que a marcaram, enquanto Rebecca, de certa forma, se alimentava de seus sentimentos.

É quando Riley começa a perceber que talvez fosse uma boa ideia seguir o que seu guia dissesse. Para começar, ela nem deveria estar querendo ajudar alguma alguma: estava de férias. Segundo: não havia permissão do Conselho para levar alma alguma – pelo menos não aquelas – para o outro lado da ponte.

Sem volta, sua única opção ao notar que Bodhi e Buttercup acabaram por entrar naquele ciclo vicioso é retirá-los de lá. Precisando, talvez, da ajuda de um príncipe com uma história de arrepiar e que a ajudará a entender a história daquela garota de roupa chamativa.

A linguagem de Luminoso ainda é, claro, mais infantil, mas os assuntos tratados são de uma veracidade excepcional o que aproxima ainda mais o leitor (mesmo que nunca tenha vivido aquilo, ou sentido aqueles sentimentos) da história terrena.

No caso, Noël consegue misturar realidade e fantasia de forma surpreendente e bem escrita; tornando difícil querer largar o livro, e ficando um pouco perdida em meio ao fim, esperando ansiosamente o próximo.

Esperando, então, a continuação daquela história que, pelo menos para mim, parece estar muito no começo, muito no superficial. O que me faz pensar que a série será longa e, se continuar caminhando do jeito que está, de qualidade. Uma fantasia que encantará diversas idades de formas distintas, uma leitura que é interessante, apesar de aparentar (e talvez mesmo ser) muito mais um passatempo que algo que podemos trazer para nós mesmos.

Deixe seu comentário

* campos requeridos

Comentar via Facebook