[Resenha] Minha Vida Mora ao Lado, de Huntley Fitzpatrick

Minha Vida Mora ao Lado
Autor(a): Huntley Fitzpatrick
Editora: Valentina
Páginas: 320
Avaliação: 5
Capa: 5 Diagramação: 5 Conteúdo: 5

YA muito bem construído e fácil de ler

A vida de Samantha pode ser resumida nos trabalhos de verão, na campanha de sua mãe para se reeleger deputada e observar os Garrett, a família enorme vizinha. A bagunça e confusão rotineira deles é o perfeito contraste com sua própria rotina, com uma mãe controladora e um tanto maluca por limpeza.

A aproximação platônica dura até que Jase, o terceiro filho, começa uma conversa com Samantha no telhado de sua casa. A conversa flui, eles se aproximam e Sam conhece, de perto, a família dele: o pai trabalhador, a mãe multiuso, os problemas financeiros, George e seu conhecimento e sentimentalismo, Joel e o estilo bad boy. Como não se apaixonar?

A primeira coisa que preciso falar a respeito de Minha Vida Mora ao Lado é que, se Sam se apaixona aos poucos e, ao mesmo tempo, rápido, para nós é tiro e queda. George me conquistou nas primeiras cenas que apareceu, com sua inocência de criança. Patsy não precisa saber mais que duas palavras para que nos faça sorrir.

Samantha em 17 anos, então é claro que ela não é ainda a mulher que será. E é interessante ver seu amadurecimento ao longo da narrativa: a menina mulher que tem suas opiniões, mas quer sempre agradar e ser “certinha” o suficiente para jamais causar problemas. A mesma que, mais para o final, precisa ser o ponto de partida para mudanças e decisões que não são nada fáceis.

Livro Minha Vida Mora ao Lado

Jase, cuja personalidade vai deixar todas as leitoras suspirando. Ele não é perfeito, mas não é o bad boy que se apaixona pela garota tímida. Jase é simplesmente humano, sem se encaixar em padrões pré-estabelecidos. É o cara que se interessa por carros, ao mesmo tempo que sabe lidar com crianças. O cara que quer ir pra faculdade e sabe que conseguir ou não, financeiramente, vai depender dele também.

Chamo atenção para Tim e Nan também. Irmãos, Nan é a melhor amiga de Samantha, Tim é viciado em drogas. Mas se acha que ambos ficariam presos aos esteriótipos, bom, não ficam e surpreendem. É isso que encanta no livro de Huntley Fitzpatrick: o quanto cada um deles poderia facilmente ser real e estar na sua vida.

Preciso admitir que foram as cenas da família bagunçada que mais me conquistaram. Isso porque praticamente todo o resto gira em torno da vida da mãe de Samantha, que está tentando se reeleger para deputada e deixa de ser ela mesma em nome de um título e muito dinheiro – e, vou admitir, quem ela parecia ser antes também não me agradou nem um pouco.

Minha Vida Mora ao Lado é, de fato, um livro a respeito de primeiro amor, família e amizade. É sobre a vida, mesmo que uma visão de uma garota de 17 anos. É fácil se identificar, mesmo que não tenha se vivido nenhum dos extremos familiares. É delicado, bem escrito e muito bem desenvolvido. Então é claro que recomendo.

Deixe seu comentário

* campos requeridos

Comentar via Facebook