[Resenha] Não Conte a Ninguém

Não Conte a Ninguém
Autor(a): Harlan Coben
Editora: Arqueiro
Páginas: 256
Avaliação: 3.8
Capa: 3 Diagramação: 3.5 Conteúdo: 5

Estava de olho neste livro há um tempinho, então quando recebi-o para resenhar estava ansiosa para a história que prometia muito, não só pelos livros já vendidos, mas também pela sinopse que, admito, é contagiante.

David e Elizabeth estão casados há anos, para comemorar o aniversário de casamento eles voltam ao lugar onde se beijaram pela primeira vez, onde há uma árvore com suas iniciais e a quantidade de traços dos anos que estão juntos. Logo nas primeiras páginas, Harlan desconstrói o clichê que isso poderia se tornar com algumas poucas frases de seus personagens.

Eles se amam e, se formos pensar, todo mundo que se ama faz alguma coisa meio boba como guardar todos os ingressos de cinema de filmes que foram assistir juntos, ou dar bicho de pelúcia com “eu te amo”, ou escrever as iniciais em uma árvore.

Logo o romance acaba quando sua Elizabeth é raptada e morta, e ele leva uma pancada na cabeça e desmaia na água. Anos depois, surge uma possível chance de Elizabeth não estar morta. David, esperançoso, não desiste até descobrir a verdade sobre aquela noite, os acontecimentos e, o principal: sua mulher estava, ou não, morta?

Harlan Coben tem uma escrita maravilhosamente simples, que nos prende ao livro do início ao fim. Faz com que nos apaixonemos pelo personagem David, um homem comum, que ama sua mulher mesmo após sua morte, por sua irmã, cuja companheira é uma mulher – e, por sinal, melhor amiga de David, além de toda a trama em si.

A história de Não Conte a Ninguém é bem construída, e nos deixa curiosos para descobrir logo tudo, quase pulando as páginas, para saber se Elizabeth está viva, e, se estiver, como.

Queremos saber mais sobre o que aconteceu naquela noite. E, mais ainda, queremos saber como a confusão toda que se cria vai se resolver. Afinal, não são dois lados da estória (o de David e a verdade), são, no mínimo, quatro a serem explorados (o da verdade, o de David e mais dois grupos que, a princípio, não tem ligação nenhuma entre si).

Indico para quem está interessado em suspense, pois não classifico como drama pesado. Apesar de toda a estória, ela não se torna pesada, é leve, acontecem as coisas, as ações, as respostas à essas ações, não ficamos sentindo a possível perda da mulher, não sofremos com o personagem, nem choramos.

Queremos ver tudo se resolver, ficamos esperançosos assim como ele, e as páginas nos fazem mergulhar em uma história que não só promete, mas de fato é, incrível.

Deixe seu comentário

* campos requeridos

Comentar via Facebook

1 comentário

  1. Roberta em

    me apaixonei por Harlan Coben quando li “Confie em Mim” .. eu já comprei “Não conte a ninguém” e em breve vou começar a ler ^^

    Responder