[Resenha] O Estranho, de Kyra Davis

O Estranho
Autor(a): Kyra Davis
Editora: Suma de Letras
Páginas: 160
Avaliação: 3.2
Capa: 3.5 Diagramação: 4 Conteúdo: 2

Personagens e história fracas.

O Estranho, primeiro livro da trilogia Apenas Uma Noite, foi o tipo de livro que prometeu muito e cumpriu pouco. Adquiri na pré-venda, fiquei ansiosa para a chegada e o li em uma tarde.

Metade de uma tarde, se estou sendo honesta. E esse é um ponto positivo: a leitura é bem rápida, fluida e não dá vontade de largar. Mais ou menos, porque em determinado momento tudo se torna previsível.

A história é basicamente essa: Kasie, uma mulher de vinte e poucos anos, está prestes a casar. Sua amiga, Simone, a leva para Las Vegas com a proposta de, uma única vez, estar com outro homem.

Ela não está tão aberta à ideia, mas óbvio que acaba indo, ficando com o outro homem (Robert) e volta para sua vida cheia de culpa. Não o bastante, Robert é o CEO de uma empresa que acaba de contratar a dela – e exige que Kasie o atenda.

Os encontros se desdobram em mais noites, que resultam em mais culpa e muita incerteza. Mas vamos aos reais problemas, já que ainda assim acreditei no potencial da narrativa.

Desculpem a palavra, mas Dave – o futuro marido – é um babaca. Você nem precisa passar por dois capítulos para notar isso. Ele é o tipo de personagem morno, sem graça, sem sal. Como diabos torcer por ele?

O desenvolvimento da personagem me soou estranha. Ao final, claro que as reações fizeram sentido, mas elas me deram mais medo do que ele seria capaz do que um alívio por ele correr atrás da mulher que, em tese, ama.

Robert, por sua vez, não é exatamenteo bad boy. Ele, na verdade, parece-me um cara bem normal, rico e justo. Em nenhum momento ele impõe algo, só aponta o óbvio. Gostei dele, mas acabei me envolvendo pouco.

Por fim, Kasie, quem nos conta a história, é razoável. Suas indecisões fazem sentido. Consigo até entender e aceitar sua linha de raciocínio na maioria das vezes.

Entretanto, em dado momento, ela deixa de ser uma mulher que vale respeito e passa a ser, bom, quase uma submissa. E não digo na cama (porque se ela quiser ser submissa na cama, tudo bem, oras!), mas na vida. E isso… Isso me irrita muito!

Por causa dela, de Dave e da pseudo-relação deles, sequer consegui me envolver com tudo que estava sendo narrado. Não é um livro péssimo, não cheguei a me arrepender da leitura, apenas existem outros muito melhores.

Por sinal, se você está pensando nas cenas eróticas – afinal, é um livro erótico -, sinto dizer que é bastante leve, com uma ou outra descrição, mas não vi nada de tão especial…

De qualquer forma, procurarei o ebook do segundo e do terceiro, quando for lançado. Mais por curiosidade mesmo, mas comprarei (se for barato). Quem sabe Kyra Davis não melhorou a narrativa/história nos outros, né?

Deixe seu comentário

* campos requeridos

Comentar via Facebook

1 comentário

  1. Carla em

    Gente! Até hoje eu não li uma resenha boa desse livro.
    Se antes eu não pretendia, agora você só reforçou. HAHAHAHA
    E como assim um erótica com escassez de cenas do tipo. Eu hein…
    Bjoooos!

    Responder