[Resenha] O Menino de Vestido, de David Walliams

O Menino de Vestido
Autor(a): David Wailliams
Editora: Intrínseca
Páginas: 192
Avaliação: 4.2
Capa: 4 Diagramação: 4.5 Conteúdo: 4

Completamente diferente do que eu esperava

Dennis vive com o pai e o irmão, ainda que não tenha um bom contato com nenhum deles. Um dia, ele decide comprar a Vogue em uma banca perto de casa e se encanta pelos vestidos que são última moda.

Após chutar a bola que foi parar na sala do diretor nem um pouco simpático, ele precisa ficar na detenção. É lá que conhece Lisa, a garota mais bonita da escola. Logo eles descobrem que tem algo em comum: o amor por vestidos.

Ela acaba o convidando para ir até sua casa e em meio a conversas e ideias, fica decidido que Dennis irá de vestido para a escola no dia seguinte – apenas uma brincadeira, para descobrir quem eles conseguem enganar.

O Menino de Vestido é um livro original com uma proposta bastante interessante. A questão aqui não é definir a sexualidade de Dennis, ainda que seja praticamente impossível não pensar nisso.

Ao escrever O Menino de Vestido, David Walliams coloca em pauta uma questão que vem sendo discutida há muito tempo. Aprendemos desde crianças que garotos brincam de carrinho e garotas de bonecas. Mas… e se estas mesmas regras são estivessem tão intrínsecas no nosso dia a dia?

Para mim, pareceu que David colocou em pauta a sociedade e suas regras. Do início ao fim, Dennis é julgado por usar vestidos, mas será que é isso que mostra sua sexualidade? Mesmo se for, será que é algo com o qual as pessoas realmente precisam se preocupar?

Gosto como O Menino de Vestido critica a própria escola, que tem como centro o diretor. Gosto das personagens secundárias e de suas características, às vezes um pouco exageradas, mas que também vejo como uma crítica.

Consigo ver como ações não necessariamente definem pessoas tais como as conhecemos – a coisa toda, a personalidade, é muito mais complexa que gostos. Recomendo a leitura para os que gostam de um livro tranquilo de ler, mas com discussões nas entrelinhas.

Deixe seu comentário

* campos requeridos

Comentar via Facebook