Resenha | O Peculiar, de Stefan Bachmann

O Peculiar
Autor(a): Stefan Bachmann
Editora: Galera Record
Páginas: 272
Avaliação: 4
Capa: 5 Diagramação: 4 Conteúdo: 3

Diferente e inovador, um infanto-juvenil que prende a atenção.

Era noite quando Bath foi virada de cabeça para baixo: pessoas num raio de 25km simplesmente sumiram, de uma hora para outra. O motivo? Aparentemente ninguém sabe.

Anos depois, a cidade está dividida entre humanos, fadas e mestiços, que, como você deve imaginar, são filhos de fadas e humanos. Eles têm uma aparência estranha e seguem uma regra geral: não seja notado e não será enforcado.

A história acaba se focando em dois mestiços – Bartholomew e Hettie, sua irmã – e de fato se inicia quando ele vê uma mulher bem vestida cujo vestido é cor de ameixa. Curioso, ele vai para seu esconderijo secreto, esperando não ser visto.

Teria conseguido, claro, se a mulher por si não fosse estranha e guardasse segredos por debaixo de seus cabelos. Um olhar rápido, quase sutil, que daria para enganar a qualquer um, mas não a Bartholomew. Afinal, ele viu os olhos encontrando os dele.

Então curiosidade, mistério e um ar pesado e gótico começam a se desenvolver. O Peculiar é um livro infanto-juvenil que, verdade seja dita, não teria me agradado muito se não estivesse aberta a novas experiências literárias.

Ele é diferente de tudo que você já leu. Não foi com pouco esforço que o autor Stefan Bachmann conseguiu criar uma história que tivesse tanto de sombria quanto de mistério a ponto de envolver o leitor a todo instante.

Sim, ficamos curiosos sobre aquela sociedade – principalmente a das fadas, que não é total pureza e encantamentos fofos e bonitos. Sim, ficamos tão envolvidos quanto a personagem principal em querer descobrir mais sobre a mulher de vestido.

A todo instante queremos entender o que e como aconteceu, qual o motivo e o objetivo. Ainda por cima quando a história de corpos completamente vazios (imagine isso! Vazios!) começam a aparecer mortos – algo que ninguém quer dar valor.

Mas, insisto, para conseguir se envolver na leitura tem que estar disposto a se transportar para um mundo um tanto diferente. Caso contrário, o livro poderá apenas parecer chato e perder toda a graça.

Deixe seu comentário

* campos requeridos

Comentar via Facebook

4 comentários

  1. Sarah Sindorf em

    Fiquei interessada pela sinopse, espero ganhar *-*

    Responder
  2. diegords em

    Participando!

    Responder
  3. Gabriel André Martins em

    Oi, Mille!

    Estou de olho em O Peculiar desde que a Galera anunciou! Estou enganado ao dizer que é um steampunk? Você falou sobre ar gótico e me remeteu ao gênero.

    Beijos,
    Gabe.

    Responder
  4. Juliana Xavier em

    Hoje em dia é tão difícil encontrar algo realmente diferente, que fiquei curiosa pra ler. Adoro quando um livro me surpreende e me propõe algo novo! Se esse novo consegue ser envolvente, desde que a gente se deixe levar, melhor ainda! Quero ler! =)

    Beijo!

    Ju

    Responder