[Resenha] O Segredo de Ella e Micha, de Jessica Sorensen

O Segredo de Ella & Micha
Autor(a): Jessica Sorensen
Editora: Geração Editorial
Páginas: 264
Avaliação: 4.5
Capa: 4.5 Diagramação: 5 Conteúdo: 4

Um segredo que nos é revelado a cada página.

Não fui como outras pessoas, que com certeza deixaram algumas lágrimas caírem de seus rostos enquanto liam o livro. O Segredo de Ella e Micha é um livro de momentos, e o que torna ele incrível é o fato de que esses momentos se repetem de capítulo em capítulo.

Ella fugiu há oito meses e só disse para onde ia ao seu pai, um homem que se afoga em bebidas. Quando volta, sente todo seu corpo indicar que os meses não foram suficientes para afastar o amor que sentia por seu melhor amigo, Micha. Não que ele saiba disso, de qualquer forma.

Mas ele não faz a menor questão de lutar e esconder que nunca se esqueceu dela, muito menos nega a importância que ela ainda preserva para ele. Então inicia-se um longo caminho no qual ela precisa se render ao amor enquanto ele precisa encarar um passado.

“Por um segundo, quero capturar o momento, colocá-lo em um fraco e mantê-lo comigo para sempre.”

O que mais me interessou, além da narrativa, obviamente, foi a construção das personagens. Ella se transformou em outra pessoa, mas é claro que Micha, aos poucos, a traz de volta – e além disso ser feito da forma certa, é totalmente coerente com as coisas que ela viveu.

Micha aparenta ser menos “profundo”, no sentido de ter menos problemas. Ainda assim, é tão bem construído que nem em seus momentos de badboy vagabundo é possível fazer dessa a identidade dele. Não para por aí, é claro. As personagens secundárias, Ethan e Lila, têm seus respectivos desenvolvimentos, ainda que, obviamente, possam ser mais explorados em um livro só deles.

“Só porque está quebrado não significa que perdeu a importância. E imaginei que um dia eu o daria a você, no dia em que percebesse que todos nós erramos e que tudo bem cometer erros. Eles fazem parte da vida.”

Jessica Sorensen tem aquele dom de fazer as pessoas se conectarem. Sempre acreditei que as experiências fossem a forma mais fácil de comunicação com um livro, e estou falando de sentimentos, não vivências necessariamente. Talvez por isso tenha me apegado tanto ao casal e seus problemas pessoais.

Ella em nenhum momento me pareceu chata. Ela é o exemplo claro, e mais dramático, de que todo mundo – todo mundo – tem uma história, e é esta que faz das pessoas quem elas são. Um ano, um mês, uma semana, um dia, um momento são capazes de mudar tudo, e mudam.

Acredito que foi isso que Jessica quis passar, junto a uma história romântica que está longe de contos de fadas e próxima da realidade. O final me surpreendeu, não pela parte romântica, mas pela reconstrução. O que me resta é mal esperar pelo próximo, porque aí sim está uma leitura que vale a pena acima de tudo.

Deixe seu comentário

* campos requeridos

Comentar via Facebook

4 comentários

  1. joelia em

    História linda, li os dois livros em 03 dias igual a a Trilogia do Belo Desastre, são perfeitos!

    Responder
    1. Camille Labanca em

      Impossível ficar sem ler, não é? <3

      Responder