Resenha | Ônix, de Jennifer L. Armentrout

Ônix
Autor(a): Jennifer L. Armentrout
Editora: Valentina
Páginas: 416
Avaliação: 4.5
Capa: 4.5 Diagramação: 5 Conteúdo: 4

Se você acha que em Ônix o amor de Katy e Daemon finalmente estará encaminhado logo no início, bem… Não. Vamos voltar um pouquinho, ok? Vocês lembram de quando, lá em Obsidiana, nosso herói salvou Katy? Pois bem, o ato fez com que uma ligação especialmente forte surgisse entre os dois.

Uma ligação muito mais forte que o agradecimento ou qualquer coisa assim. Agora, eles podem sentir a presença um do outro e, se alguma coisa séria (como, por exemplo, a morte) acontecer, o outro também será afetado. O problema é que, na cabeça de Katy, a aproximação dele se dá única e exclusivamente por isso – e então ela não quer.

Mais que isso, o holofote em cima dela continua fazendo a amizade com Dee (uma das melhores personagens da série) e o relacionamento com Daemon um problema, afinal, ela está colocando todo mundo em risco. A diferença aqui é que Daemon finalmente deixa de lado toda a babaquice – por falta de palavra melhor – do primeiro livro e, aqui, está realmente dedicado a Katy.

Os Arum continuam um grande problema, assim como o DOD e – um ponto não tão positivo na minha opinião – ainda surge Blake, que tem aquele tom encantador e que deixa todos os leitores desconfiados e que, é claro, está tentando ganhar Katy.

Ônix foi muito melhor que o primeiro livro. Ele é bem mais desenvolvido e as personagens, ainda que não estejam exatamente maduras, estão com uma presença diferente. Katy e Daemon continuam entre tapas e beijos, mas, aqui, o relacionamento acaba fazendo muito mais sentido e nos tira um ou outro suspiro.

Dee poderia ter aparecido mais. Além de personagem com muito potencial, eu gostaria de ter visto mais da amizade dela e de Katy e que menos segredos ficassem entre as duas. Katy não amadureceu nada, e em alguns momentos pode ser bastante chata, mas o que o primeiro livro tinha de forçado, nesse é natural. Ela toma muitas decisões ruins, sim, mas que fazem sentido em meio a narrativa.

O que chama atenção aqui são os desfechos. Ainda que previsíveis, são bem colocados e dão potencial a toda a história. Estou curiosa sobre como a história vai continuar e como as coisas vão se resolver para o casal principal. Admito que estou com os dedos cruzados para que o novo volume não demore a sair.

Confira resenha de Obsidiana

Resenha Obsidiana

Deixe seu comentário

* campos requeridos

Comentar via Facebook