[Resenha] Private – Agência Internacional de Investigações

Private
Autor(a): James Patterson e Maxine Paetro
Editora: Arqueiro
Páginas: 206
Avaliação: 3.2
Capa: 3 Diagramação: 4 Conteúdo: 2.5

Um dos pontos mais fortes no livro é o fato de conseguir imaginar a agência Private e as pessoas que nela trabalham com perfeição.

No primeiro livro que dá origem à série Private, uma empresa cujo dono é Jack Morgan, nos deparamos com três casos principais para que os investigadores – super bem pagos, cujo trabalho é de (literalmente) vinte e quatro horas por dias – solucionem.

São eles: o assassinato de Shelby, a melhor amiga de Jack; casos de compra de jogos e pontuações no futebol americano, investigação paga pelo tio de Jack, Fred, que ainda quer acreditar piamente na honestidade dos jogos; por fim, o misterioso assassinato de meninas por toda área da cidade.

A Private agora tem que lidar com três casos ao mesmo tempo e solucioná-los tanto quanto antes. Em todos eles o tempo corre contra eles e, fica claro durante a leitura, que não se pode perder tempo: perdas de tempo podem significar a culpa de inocentes ou, pior, a morte de mais pessoas.

O foco do primeiro livro está, como pode-se notar, no dono da empresa. Desde o início nós sabemos como ela surgiu e conhecemos seu passado, o que faz ele ser quem é e quais pesadelos o assombram. Apesar do livro não se aprofundar muito nesse aspecto, acho interessante o fato de não o deixar de lado.

Ao mesmo tempo, nem todas as investigações não são totalmente secretas para o leitor. Por conhecermos vários pontos de vista na mesma história (sem aviso prévio, o que particularmente gosto, mas sei que muitos podem reclamar), sabemos às vezes quem é o culpado.

Enquanto em outras suspeitamos até o fim de pessoas erradas – ou sequer temos uma dica de quem seria. Acredito que sim, poderia ser mais organizado a ponto de seguir uma linha de raciocínio por um tempo maior e, então, nos deixar mais curiosos pelas próximas ações. Às vezes a quebra de raciocínio constante, pela mudança entre os casos e a vida pessoal de Jack, nos deixa um tanto perdidos.

Um dos pontos mais fortes no livro é o fato de conseguir imaginar a agência Private e as pessoas que nela trabalham com perfeição, consigo imaginar seus hábitos e suas ações, deduzir quem seriam se fossem reais.

E, além disso, Patterson e Paetro conseguem juntar drama com comédia de uma forma tão brilhante que é impossível se cansar da leitura ou achá-la lenta.

Muito pelo contrário, é dinâmica até nos momentos mais tensos, devido a pontos de descontração que não estragam o clima da leitura e, ao mesmo tempo, nos permitem dar um suspiro e continuar a leitura sem que ela se torne pesada.

Deixe seu comentário

* campos requeridos

Comentar via Facebook

8 comentários

  1. Janaina Barreto em

    vou compartilhar uma coisa com você, Camille: sou fã do Harlan Coben, sabe? Nunca tentei ler nada policial do James porque sinto como se estivesse traindo o meu queridinho. haha

    Loucuras a parte, tenho um bocado de curiosidade de ler aquela série do Alex Cross (acho que se escreve assim) e fico impressionada com a quantidade de lançamentos deste autor! O_o

    Private realmente parece muito bom! Gosto quando há certo humor dentro de livros policiais pois a leitura flui bem, nunca fica parada nem chata. ^-^

    Responder
  2. Lara Silva em

    Sempre ouvi que os livros de James Patterson são fantásticos e tenho vontade de ler algum deles. Principalmente Private, que gostei muito da resenha. Confesso que não sou muito fã desse tipo de livro, mas com certeza, está indo para minha lista de livros desejados! 😉 Parabéns!

    Responder
  3. Cristiane Silva em

    Eu li, esperei demais e achei bem, mas bem, mas muito sem graça =/
    Desvenda os “mistérios” rápido demais cara. Odeio esse gênero de leitura quando é mal feita. E esse livro ficou parecendo bem mal feito. Você fica instigado a saber o que aconteceu, vira a página e está lá a resposta. Aí o resto do livro é embolação barata? Sério? Eu achei muito simples mesmo =/

    Responder
  4. Beatriz Ramos em

    Olá Camille! 🙂
    Estava esperando por essa resenha hahaha. Bom o livro parece ser bem interessante mesmo e tenho muita vontade de começar a ler sobre investigações, sabe? Acho um tema que pode ser muito bem trabalhado e capaz de prender o autor do início ao fim! O medo é comprar e ver que não é o que você esperava como já aconteceu com outros livros… Espero ter a oportunidade de lê-lo!
    Sua resenha está falou sobre os pontos que eu precisava saber, agora é esperar e ver quando vou poder comprá-lo! hahahah
    Beijos!!

    Beatriz Ramos – @letrasefolhas
    http://www.letrasefolhas.com

    Responder
  5. Thaís Damin em

    Ainda não li, e confesso que não tinha muito interesse. Mas gostei muito da sua resenha, gosto do mistério que envolve as investigações e vou colocar esse livro na minha listinha =)
    Acho que por causa desse clima de solucionar casos, me lembrou CSI hahaha, acredito que vou gostar bastante de Private =D

    Responder
  6. Angela Gabriel em

    Estou com esse livro pra ler já tem um tempinho(não consigo chegar nele.rs fila meio grande)
    Mas fiquei meio avessa a história do livro..sei lá, sempre imaginei Patterson mais meigo, sútil.rs
    Daí, fui lendo as resenhas e curtindo esse lado mais aguçado em investigações, mistérios.
    Não vejo a hora de poder ler meu exemplar e me permitir imaginar também, dentro da Private..rs

    Beijo

    Responder
  7. adriana balreira em

    Amei essa resenha. Adoro esse tipo de livros que mistura drama com comédia e tem um ar de investigação. Deve ser delicioso de ler. Mas será que quem não leu o primeiro fica sem entender esse? Espero que não.
    Beijos
    Adriana

    Responder
  8. Karoline Jardim em

    Eu vinha ouvindo alguns comentários sobre esse livro faz um tempo e a primeira coisa que me chamou atenção nele foi a capa que eu achei muito bonita e o título é claro que pra mim deu um ar de mistério que só aumentou com essa resenha. Quero muito ler esse livro e tirar minhas próprias conclusões.

    Responder