[Resenha] Rendição, de Maya Banks

Rendição
Autor(a): Maya Banks
Editora: LeYa
Páginas: 336
Avaliação: 3.8
Capa: 3.5 Diagramação: 4 Conteúdo: 4

Talvez a verdade seja bem simples: estou cansando de livros que propõem mais do mesmo. Entretanto, se Maya Banks quer falar de BDSM, e, sinceramente, eu quero ler.

Então li. E amei, ainda que tenha encontrado alguns problemas na narrativa, errinhos bobos que me deixam a dúvida se devo culpar à ela ou a tradução.

Enfim, Surrender tem a intenção de ser uma trilogia sobre o universo de submissão, e definitivamente este livro é sobre isso. Quando Joss perde o marido, ela precisa passar por um longo tempo de cura.

Ao final do terceiro ano, ela decide seguir a vida e procurar pelo que o amor de sua vida não tinha condições de dar: dominação. Sem experiência, ela vai a uma casa voltada pra isso.

E lá encontra Dash, o cara que sempre foi apaixonado por ela e, de quebra, era o melhor amigo de seu ex-marido. Ela nunca suspeitou do seu interesse, mas quando ele impõe que só ele poderia dar esse prazer à ela, bom, ela aceita.

Em nenhum momento as decisões soam precipitadas. Nem me parece que um ou o outro estejam traindo a confiança de Carson. Por isso, apesar de, a princípio, não gostar muito da ideia, aceitei-a com facilidade.

Também agradeci o fato de não encontrar um livro com pouco sentimento. Foi exatamente o oposto, e isso, claro, foi responsável por me conquistar a cada página.

O que me incomodou um pouco foram as falas, que podiam ter sido mais trabalhadas. Elas são realistas, bastante, mas as vezes soavam toscas. Como iniciei dizendo, talvez esteja apenas cansada de muito doce.

Amei as partes de “ação”, quando Dash mostrava seu lado dominador, mas respeitava Joss e fazia tudo para o prazer dela, levando-a a explorar seus limites. Fica claro que a submissão, nesse caso, não torna a mulher frágil, fraca.

Inclusive, Maya Banks usa Rendição para mostrar que não deve ser visto dessa forma, é faz isso muito bem. Criando situações e mostrando um pouco das demais personagens, deixando-nos curiosos a respeito.

Falei dos errinhos, certo? Bom, desatenção ou não, a autora passa o início do livro se repetindo, falando as mesmas coisas, talvez para reforçar uma ideia. O problema é que, certo momento, isso cansa.

E de vez em quando dá para achar umas contradições, que ela nem sempre tenta explicar, o que me faz crer que não era proposital mesmo.

Sobre o final, preciso apenas comentar: esperem olhos marejados, e vale muito, muito a pena. Rendição não foi o melhor livro que li da autora, mas ainda assim é muito bom.

Deixe seu comentário

* campos requeridos

Comentar via Facebook