[Resenha] Sedução ao Amanhecer, de Lisa Kleypas

Sedução ao Amanhecer
Autor(a): Lisa Kleypas
Editora: Arqueiro
Páginas: 256
Avaliação: 4.3
Capa: 5 Diagramação: 5 Conteúdo: 3

O segundo volume da série Os Hathaways, Sedução ao Amanhecer, apresenta a história da segunda filha da família. Win, que desde criança sempre fora apaixonada por Merripen, o cigano perdido acolhido por seus pais, sofre dos resquícios de uma terrível doença que a acometeu anos atrás, impedindo-a de viver plenamente. Para piorar os ânimos da jovem, sua realidade a impede também de amar sem restrições o único homem que habita seus pensamentos.

Sendo assim, quando a oportunidade de se tratar em uma clínia francesa surge, Win parte em busca de sua cura e, consequentemente, de um possível futuro ao lado de Merripen. Mas ao que parece, ainda que seu amado aparente sentir e desejar o mesmo com relação a ela, ele mantém-se afastado com seus segredos que teima em não dividir.

O segundo livro da série de romance histórico de Lisa Kleypas é recheado do início ao fim. Ainda que a autora tenha mantido o foco na história de amor da segunda irmã da família, durante o livro também nos são apresentados os acontecimentos da vida dos outros irmãos. Isso, por si só, a meu ver, foi de grande enriquecimento para a trama, de modo que me senti mais próxima da família e da história que se desenvolvia naquelas páginas.

E ainda que a história tenha-se mostrado cheia de clichês e incoerências sem fim por parte do galã, muito me compadeci de Win e admirei sua coragem e força, que a todo instante me surpreendia com seus pensamentos e atitudes.

O romance, por outro lado, embora arrebatador em algumas páginas, me foi enervante em outros momentos em decorrência da postura do protagonista masculino, mas a todo instante o motivo de tal comportamento nos era explicado. Sendo assim, a já muito batida premissa de um dos mocinhos proteger a pessoa amada mantendo-se afastado foi o ponto fraco da história, que para mim não fez sentido em momento algum.

O livro é, sem dúvida, uma boa distração. Leitura para ser feita em algumas horas, apenas. Contudo, enfatizo que os leitores que não estão afeiçoados ao gênero ou que já não tenham nutrido algum sentimento positivo com relação à escrita da autora podem não aproveitar o livro da maneira adequada.

Deixe seu comentário

* campos requeridos

Comentar via Facebook