Resenha | Sob Um Milhão de Estrelas, de Chris Melo

Sob Um Milhão de Estrelas
Autor(a): Chris Mello
Editora: Fábrica231
Páginas: 320
Avaliação: 5
Capa: 5 Diagramação: 5 Conteúdo: 5

Alma chega à pequena cidade de Serra de Santa Cecília com um objetivo: ficará na casa que foi da sua avó por apenas alguns dias – o suficiente para resolver o que vai fazer com a herança ela deixou. Uma loja no primeiro andar e um apartamento no segundo, ela ainda não decidiu o que fazer quando conhece Cadu.

Cadu é seu vizinho. Ele recebeu a “missão” de manter a casa abastecida e limpa até que Alma chegasse. Ele estava achando que ela jamais apareceria quando percebe que está sem comida e decide ir até a casa ao lado para pegar algumas das compras que ele fez mais cedo. É quando vê a luz acesa, e Alma passando pela janela.

Entre eles não acontece amor à primeira vista, mas sim um interesse sutil. Cada um tem sua história e não está pronto para entrar em novas águas sem pensar duas vezes. Mas o contato constante de uma cidade pequena faz com que surja algo entre eles que, em determinado momento, não dá mais para negar.

Alma é médica, não sabe toda a história da mãe com a avó e de pano de fundo ainda tem um término recente pelo qual se sente culpada. Carlos Eduardo agora é dono de um bar, abandonou tudo no Rio de Janeiro quando seu relacionamento foi por água abaixo e recriou sua vida naquela cidade – ainda não sabe se foi a melhor decisão.

Com uma narrativa fluida, Chris Melo une o passado de uma cidade do interior com o presente. A relação entre a mãe, o pai e a mãe do seu pai vai sendo revelada ao longo das páginas, sem pressa e também sem demora excessiva. O mesmo acontece com o relacionamento de Alma e Cadu: é algo que vamos vendo acontecer sem que soe precipitado ou errôneo, simplesmente está lá, não é forçado.

No meio disso há uma irmandade, passada de geração para geração que inclui apenas as filhas mulheres de suas avós. A princípio uma relação extremamente fútil e até propositadamente forçada, o grupo é bem explorado e se encaixa perfeitamente na história.

Os capítulos são alternados entre os pontos de vista de Cadu e de Alma, o que sempre gosto de encontrar em um romance. Acho bacana acompanhar o que está acontecendo dos dois lados em questão de sentimentos e visão, e ambos são muito bem escritos.

A escrita de Chris Melo é leve, dessas realmente gostosas de se ler. A edição está linda, e não encontrei erros na revisão. É um livro delicado, que definitivamente merece a leitura.

Deixe seu comentário

* campos requeridos

Comentar via Facebook