[Resenha] Tortura Cor de Rosa

Tortura Cor de Rosa
Autor(a): Lycia Barros
Editora: Danprewan
Páginas: 149
Avaliação: 3.2
Capa: 3 Diagramação: 3.5 Conteúdo: 3

Tortura Cor de Rosa, sendo um livro voltado para o público escolar, tem uma linguagem é muito bem adequada, incluindo gírias que não parecem forçadas. A personalidade de seus personagens, e a maturidade, também são bem empregados – ninguém é infantil ao extremo ou o oposto, o que cabe no contexto de ensino médio.

Claro que a infantilidade é discutível por se tratar de bullying – e até que ponto as pessoas que o praticam são maduras? – ainda assim, há toda uma justificativa que faz a pessoa ter um motivo para aquilo, mesmo que ainda seja errado.

Lycia Barros explora o assunto aumentando as ações de forma a deixar claro o que é bullying e o que passa quem realmente sofre com ele, o que lhe dá um tom de seriedade compreensível e necessário ao tratar do assunto, que seja fácil demais superá-lo.

É realista em diversos aspectos e isso é o tom mais importante: é na realidade que podemos enxergar o problema e pensarmos em resoluções.

É um livro voltado para escolas que, além de divertido – e, acredito, um bom começo para jovens leitores, com potencial para conquistar novos (mais mulheres que homens, mas sem excluí-los) – aproveita para ensinar princípios básicos de convivência.

Trata, automaticamente, de amizade, preconceito, meios de comunicação e do papel desempenhado pela “entidade máxima” do colégio: a diretora, que possui em suas mãos o poder de resolver o problema.

Entretanto, e quando as informações que chegam aos seus ouvidos são erradas? O que são provas de fato ou mais um ato de bullyng? Até que ponto há uma preocupação em torno não só do conteúdo escolar, do estudo, como também da relação que se tem entre os alunos de um colégio?

O que pode ser feito para melhorar? Respondendo essas perguntas, Lycia constrói um livro que serve muito bem para seus propósitos, além de ser bem escrito. Tornando-o uma leitura interessante para qualquer pessoa envolvida em ambiente escolar.

O único contra, ou melhor, aspecto que creio que poderia ser melhorado é no próprio desenvolvimento da história. Imaginando os estudantes como novos leitores, o atrativo principal (a leitura por si só) poderia ser mais complementada. Por exemplo, se Ava quer ficar com Lucas e consegue, desperta-se uma vontade de vê-los mais juntos, o que acontece significantemente apenas uma vez.

Deixe seu comentário

* campos requeridos

Comentar via Facebook

2 comentários

  1. Davi Araújo em

    O lviro parece ser mais direcinado para menenias. Pensava que era um chick lit quando vi o nome, mas não, é um livro mais séri0o Um livro bom pra escola mesmo.

    Responder
  2. Erica Marts em

    Mais um livro da Lycia que vai pra minha lista de leitura.
    Felizmente eu nunca sofri com bullying mas vejo na TV tantas histórias que cortam o coração.
    Quero muito ler como ela aborda o assunto no livro.

    Responder