[Resenha] Um Conto Sombrio dos Grimm, de Adam Gidwitz

Um Conto Sombrio dos Grimm
Autor(a): Adam Gidwitz
Editora: Galera Record
Páginas: 272
Avaliação: 4.5
Capa: 5 Diagramação: 4 Conteúdo: 4.5

Em Um Conto Sombrio dos Grimm, Adam Gidwitz nos apresenta a verdadeira história de João e Maria, aquela na qual o conto de fadas foi baseado.

A história de João e Maria tem início três gerações antes das crianças, ainda com seu avô, rei de Grimm, de modo que tenhamos conhecimento da origem dos pormenores que acarretaram nas situações vivenciadas por eles.

Quando os gêmeos João e Maria nascem, seus pais estão em dívida com um fiel servo que foi amaldiçoado em detrimento de uma desobediência do rei.

O soberano descobre, então, que a maldição pode ser revertida se decaptar ambos os filhos. Sentindo-se culpado com a situação de Johannes, um homem que dentregou a própria vida em troca da felicidade do rei, ele toma a difícil decisão de fazer o que precisa ser feito.

Só que após sacrificar os filhos e Johannes voltar à vida, João e Maria inexplicavelmente – nota-se aqui o tom sobrenatural do conto – são ressuscitados. Mas eles sabem o que seu pai fez com eles, só não sabem o motivo. Indignados com a atrocidade do próprio pai, os irmãos fogem para a floresta com a intenção de nunca mais retornar ao lar. Eles só não sabem, no entando, que aventuras e caminhos sombrios aguardam por sua chegada.

Os contos dos irmãos João e Maria são narrados por Adam Gidwitz, que me pareceu uma espécie depersonagem onisciente e muito sarcástico, o que acrescentou leveza à história que que possui tantas cenas de suspense.

Além disso o autor fez uso de narrativa simples, porém muito envolvente, dando a impressão de ser um adulto contando a história para crianças – mesmo que uma história bem macabra. É importante ressaltar, no entanto, que este não é um livro de terror.

Uma cena sangrenta aqui, um acontecimento sinistro ali, mas nada que vá tirar o sono de quem lê. Contudo, talvez não seja possível dizer o mesmo das cenas de aventura e ação contidas no livro, que prendem o leitor e fazem com que dezenas de páginas sejam lidas, de modo com que dormir seja uma ideia impensável.

O que mais chama atenção no livro é a linguagem leve do autor e as diversas intervenções com toque de humor que ele fez durante a narrativa além, é claro, da personagem de Maria. Aqui, os estereótipos de princesa inofensiva e delicada passam longe, uma vez que a protagonista é incrivelmente destemida, corajosa, sensível e altruísta.

O livro cativa o leitor já nas primeiras páginas. Ainda que seja o conto real, não deixa de ter a pegada dos contos de fadas com batalhas, dragões, feiticeiros e magia, fazendo com que a experiência seja ainda mais enriquecedora. Recomendado para os que apreciam infanto juvenis e as mensagens passadas por eles, bem como hisórias de cunho mais sombrio.

Deixe seu comentário

* campos requeridos

Comentar via Facebook