Resenha | O Caso Rembrandt, de Daniel Silva

O Caso Rembrandt
Autor(a): Daniel Silva
Editora: Arqueiro
Páginas: 304
Avaliação: 3.5
Capa: 4 Diagramação: 3.5 Conteúdo: 3

Uma surpresa para quem gosta de suspense e história tão ligados.

O Caso Rembrandt foi uma surpresa para mim. Um livro com potencial incrível que é percebido logo nas primeiras linhas, mesmo quando tudo parece um tanto quanto confuso com personagens (no caso, Peel) que parecem não fazer o menor sentido na história. A história demorou a engatar, as primeiras páginas foram confusas e pareciam não passar, todavia, quando Daniel Silva consegue começar a amarrar os pontos é impossível não se deixar levar pela curiosidade.

Pelos olhos de Peel, ficamos curiosos sobre quem seria Gabriel Allon, logo em seguida começamos a ter um pequeno resumo dos últimos acontecimentos de sua vida, que o levaram a se ocupar com assuntos que fugissem ao seu trabalho de restaurador de obras. Não que ele fosse um restaurador qualquer. Quando um homem aparece morto e um quadro Rembrandt é roubado, Gabriel acaba sem saída a não ser aceitar procurá-la.

Daniel consegue misturar suspense e espionagem de forma brilhante, com toques incríveis de história – se você não tem interesse e/ou não gosta de ler sobre o Holocausto na Segunda Guerra Mundial ou sobre conflitos no Oriente Médio, esse livro não é para você, sempre misturando fictício com real, fazendo com que chegue ao ponto de ser tão verossímil que fica difícil supor o que é real e o que não é.

O autor ainda faz uma crítica à segurança do sistema de arte. Nas entrelinhas, em meio a fala de personagens e situações, expõe sua visão acerca de tantos assuntos que em certo momento a leitura se torna ainda mais complexa. Ficou claro que o livro dez de Gabriel Allon não é apenas um bom livro sobre espionagem, vai muito além disso – e é muito bem sucedido, ainda que em alguns momentos a leitura pareça que não vá andar.

Deixe seu comentário

* campos requeridos

Comentar via Facebook

4 comentários

  1. Babi Lorentz em

    Acho que você falou tudo o que eu queria ler para querer ler este livro. Pelo visto, ele é para mim porque eu tenho interesse e gosto de ler sobre o Holocausto na Segunda Guerra Mundial. Bem mesmo o meu tipo de leitura.
    Estou curiosa.
    Beijos.

    Responder
  2. Fernanda Faria em

    Adorei a resenha. gosto desse tipo de livro que mistura suspense com história, fiquei bem interessada, vou procurar adquirir. Sua resenha ficou perfeita, simples, direta, nada de enrolação, muito bem escrita. Me instigou muito.
    beijos

    Responder
  3. Thaís Damin em

    Nunca fui muito fã de história, mas os livros do Eduardo Spohr geralmente trazem isso e eu gostei bastante. Sem dúvidas eu daria uma chance para esse =)

    Responder
  4. Beatriz Cruz em

    É o tipo de livro que eu gosto qu emistura, história, suspense, espionato, arte e geopolítica <3

    Responder