Uma stalker com Marian Keyes

Alguém foi até Nottingham, cidade do Robin Hood, encontrar sua escritora favorita, que atende pelo nome de Marian Keyes e escreveu uma porção de livros maravilhosos, com ênfase em “A Estrela Mais Brilhante do Céu”.

Esse alguém não sabia andar na cidade em que Marian iria conversar com seus leitores sobre seu novo livro de ensaios Making It Up As I Go Along, muito menos chegar no tal lugar onde essa conversa iria acontecer. Logo, todo o percurso até lá foi pontuado por:

– Para que lado fica a Nottingham Playhouse?

E algumas curvas e subidas depois… O clima era de muita ansiedade e pessoas com sotaque inglês preparando suas perguntas para quando a lendária twiteira Marian Keyes subisse ao palco. Alguém ficou envergonhada do seu próprio sotaque. Coisa que foi esquecida em um segundo, assim que as luzes se apagaram.

Tudo que alguém já pensou sobre o quão maravilhosa Marian Keyes poderia ser, foi superado pela pessoa que Marian Keyes é. E olha que as pessoas podem ter uma imaginação fértil de vez em quando! Ela igualzinha a uma pessoa de verdade. Para provar isso, ela se dispôs responder qualquer pergunta, qualquer pergunta mesmo, que alguém quisesse fazer. Desde ícones da TV britânica até se ela gostava de música. Que, por um acaso, a resposta era não.

Marian Keyes

Igual uma das melhores personagens inventada por ela: Helen Walsh, a mais nova das irmãs da série da família Walsh, protagonista do livro Chá de Sumiço. Marian é tão parecida com uma pessoa normal que até tem problemas, contudo, diferente do que pode ser tido como normal, ela não tem reservas em falar sobre como ela ficou “doente da cabeça” (palavras dela – traduzidas livremente) e a quantas andam sua batalha com a depressão.

Apesar do peso do assunto, tudo foi discutido de forma bastante leve, daquele jeito vamos-rir-dos-nossos-problemas-antes-que-a-gente-comece-a-chorar bem característico das obras dela. Que fazem as pessoas rirem e se afeiçoarem com a história que está sendo contada. Principalmente quando aquela história não é só fictícia e pode acontecer com todo mundo, até mesmo com sua escritora favorita, que precisa tomar “pílulas anti-enlouquecedoras” para continuar escrevendo as coisas maravilhosas que você tanto gosta de ler. Dá vontade de dar um abraço nela.

E quem poderia imaginar que logo após a sessão de perguntas e respostas haveria um tempo especial dedicado para isso? O bate-papo foi finalizado com boas risadas e a certeza garantida por Marian (no caso de alguém estar se perguntando) de que todas as suas personagens estão bem, dando continuidade aos seus finais espetaculares. Em especial Rachel e Luke, do livro “Férias”, que tende a ser o queridinho de muita gente.

Além disso, claro, tiveram muitas palmas. Palmas merecidas, palmas de queremos saber muito mais, palmas de gostaria de ser sua amiga. Uma stalker nunca foi tão feliz em completar o objetivo da sua stalkeação. Mas não é por isso que ela vai deixar de stalkear mais.

Experiência compartilhada por Aimee Oliveira
Exclusivamente para o Versificados

Deixe seu comentário

* campos requeridos

Comentar via Facebook